Blogroll


O Antero Valério já tem um blog em seu nome – o Anterozóide – onde está a fazer a compilação dos seus materiais com a ordem devida. A visitar sem falta.

«O conceito de carreira é um dos que evoca uma profunda fascinação entre certos sociólogos. Enquanto o público, imaginamos nós, pensa na carreira simplesmente como uma série de movimentos ascensionais ou laterais no interior ou entre ocupações, os sociólogos inventaram significados alternativos, por exemplo, usando “carreira” como sinónimo para um conjunto de experiências em mudança dentro de um dado papel (…).Se pensarmos numa carreira como uma experiência individual, podemos cartografar histórias de trabalho, inquirir acerca de objectivos e ambições, explicitar os sentimentos e percepções de alguém sobre o que se passou e porquê. “Carreira” tem também uma faceta estrutural. Em primeiro lugar, os traços políticos e económicos de uma dada época histórica providenciam o contexto dentro do qual cada carreira ocorre. Adicionalmente cada ocupação oferece uma sequência típica de posições, juntamente com regras ou convenções para a sua alocação. Estas regras ou convenções parecem facilitar a progressão para uns e impedi-la para outros. Deste ponto de vista as “hipóteses de carreira” aparecem estruturalmente impostas mais do que individualmente escolhidas. A pesquisa sobre as carreiras dos professores raramente encontraram uma forma de integrar estas duas conceptualizações alternativas. Num extremo os professores são indivíduos racionais, fazendo “mapas de carreira”, enquanto no extremo estrutural do continuum eles são simplesmente “vítimas” do sistema, incapazes de exercer qualquer liberdade de escolha.» (Sandra Acker, Teachers, Gender and Careers. New York, 1989, pp. 7-8, destaques meus, assim como a tradução trôpega)

Só dois reparos para complementar: o primeiro para afirmar que, embora com mais de 15 anos, o conteúdo desta obra permanece bem actual para o caso nacional; o segundo, para pensarmos todos um pouco para que lado das teorias sociológicas sobre as carreiras profissionais andamos a ser empurrados.

Vou muito lentamente adicionando alguns links ao blogroll do Umbigo. Mas o tempo é pouco e estou em falta com muitas ligações interessantes.

Bonito, bonito, vai ser arranjar maneira de os organizar. Mas a esperança…

E não, não me esqueci do ante-projecto de decreto-lei para o regime jurídico de habilitação profissional para a docência, que recebi de diversas origens. Mas tempus fugit

Há já algum tempo que estou para recomendar a leitura do blog do João Tilly, mas lá acabo por me perder nos textos de quilómetro e meio e só agora é que aqui vai o devido destaque para um dos poucos que destoou pela positiva naquele Prós e Contras de má memória. Em especial este texto recomendado em boa hora pela leitora e comentadora MSimões é mais uma acha para uma fogueira que vai ardendo.

… sobre Educação a vários níveis, sobre a docência e agora, claro, sobre a revisão do ECD, entre outros assuntos: Aprender a EnsinarConversamos?, Da crítica da Educação…, Educação em DebateoutrÒÓlhar e Vida de Professor.

Podemos não concordar com tudo o que se lê, mas é da discussão e com a discussão que se pode chegar a algum lado.