Base De Operações


Resta convencer uns certos e determinados senhores a irem para Chamonix ou algo assim. Se há quem parta a bacia, eles podem partir os alguidares e os tachos.

Embora duvide muito que seja uma observação pacífica.

Negociações já envolvem um representante do Presidente

O sociólogo e ex-ministro David Justino, consultor de Cavaco Silva, participou na segunda ronda de negociações entre PSD, CDS e PS como “observador” da Presidência.

Confesso que não estava a vê-lo a perder tempo num beco deste tipo.

Fui ver os “pendentes” aqui do blogue. Apenas direi que não aprendi asneiras novas.

Não fiquei dividido a propósito das liberdades  que, a meu ver, nunca poderão ser. E divertir-me-ia com o melício, acaso alguma vez me confundisse.

Para que saibam, mesmo sem saberem.

Incapaz de compreender o jornalismo sem o ligar a interesses

a minha euforia por um cavalo asno

A obrigatoriedade de os professores bibliotecários darem aulas a uma turma foi hoje publicada em Diário da República e estabelece apoio individual a alunos para os casos em que não seja possível aplicar a regra.

A portaria de 2009 sobre esta matéria previa que os docentes em tais funções pudessem optar por manter uma turma, ficando dispensados da componente letiva, exceto se o número de alunos matriculados no agrupamento ou escola fosse inferior a 400. Teriam, neste caso, uma redução de 13 horas na componente letiva.

Agora, o Governo vem adequar este preceito legal à resolução do Conselho de Ministros de dezembro de 2010, «salvaguardando a diversidade das situações em que se encontram os docentes atualmente a exercer funções como professores bibliotecários».

Mas,  mas… a diversidade?