Autoridade


 

 

 

o valor a pagar

 

 

 

 

O Estatuto do Aluno vai ser revisto e prevê o reforço da autoridade dos professores, disse hoje à agência Lusa o secretário de Estado do Ensino e da Administração Escolar.

João Casanova Almeida sublinha que «é importante que esta mensagem corra porque tem estado arredada da sala de aula».

O governante considera essencial «que seja dado esse sinal à comunidade educativa», já que os professores «são a autoridade na sala de aula».

(…)

João Casanova Almeida diz que vai ser ponderado «o modelo de administração e gestão» para se perceber «se está adequado às necessidades das escolas», acrescentado que é desejo do ministério «mudar o diploma, no que respeita à direcção».

Finalmente, o secretário de Estado admitiu que será dada uma «atenção especial à questão» da liderança nas escolas porque ela vai estar no topo da concessão da autonomia, uma das apostas da Educação que será realizada de forma «gradual».

Transcrevo o post do Ad Duo por inteiro… em boa verdade isto serviria para muita gente descomprimir um pouco…

ADD – Observação de Aulas apenas no ciclo imediatamente anterior à progressão

Plenamente de acordo (não nos referimos ao modelo, obviamente).

Agora, uma DRE, a do costume, vem dar informação diferente da DGRHE (reuniões descentralizadas com os directores).

A Observação de Aulas (OA) ocorre nos dois anos lectivos do ciclo avaliativo, por consequência do requerimento apresentado pelo avaliado no início do 1.º ano do ciclo.

A OA como condição necessária à progressão ao 3.º e 5.º escalão incide sobre o ciclo imediatamente anterior à progressão.

Só poderia ser assim.
Repare-se que o MB e o EXC para “fugir” às vagas, que ainda não está regulamentado (!?), também é este o entendimento.

O Conselho de Ministros aprovou hoje a eliminação da disciplina de Área de Projecto no 12º ano, a criação da disciplina de Formação Cívica no 10º ano, e a introdução do exame final nacional optativo de Filosofia no 12º.

 Isto é, quem otar será otário?

 

Expulso de aula por ter “demasiado pêlo na cara”

Um jovem estudante inglês foi expulso da sala de aula e isolado dos colegas por dois dias na Sacred Heart School, em Crosby, alegadamente por ter “demasiado pêlo a crescer na cara”.

É claro que se fosse gay

Paulo Nozolino devolve prémio AICA/MC
e comunica-o.

E eu não só concordo, como aplaudo.

[daqui]

Página seguinte »