Aulas De Substituição


Declaro aberta a caça às avecas!

O Correio da Manhã traz hoje uma peça sobre o assunto. Uma ideia teoricamente boa ficou atraiçoada pela forma apressada, atabalhoada e trambiqueira como a equipa de MLR tentou implementá-la à força.

A minha percepção é que a sua forçada centralidade foi progressivamente diminuindo, devido à necessidade de ocupar a CNL com outras ocupações (nomeadamente a própria avaliação, o PAM, as actividades ligadas aos novos programas de Português), assim como com a aposentação de muitos colegas que tinham maiores reduções da componente lectiva.

Aliás, acho que as substituições ganhariam em ser, elas próprias, substituídas por um sistema de espaços temáticos (clubes, oficinas, etc) a funcionar de forma eficaz, para onde os alunos poderiam ir conforme os seus gostos, obtendo créditos pela sua participação voluntária, tanto em momentos de falta de docentes como nos seus tempos livres.

E nas vossas escolas, como tem evoluído o sistema das substituições?