Altas Pressões


Joana Marques Vidal quer ouvir magistrados expulsos de Timor

Cavaco Silva sente-se mal durante discurso do 10 de Junho

Exmos. Senhores Diretores de Escola/Agrupamento de Escolas

Exmos. Senhores Presidentes de CAP

Por solicitação do Senhor Presidente do Conselho Diretivo do IAVE, cumpre-me transmitir a informação infra:

“Caro(a) Diretor(a)

Estando a decorrer o processo de classificação da componente escrita do teste Key for Schools, processo que deverá estar terminado impreterivelmente até ao dia 15 de junho, constata-se que a participação dos professores certificados para o efeito e que integram o grupo de professores classificadores é profundamente desigual. Dos cerca de 1100 professores envolvidos no processo apenas cerca de 400 têm cumprido com regularidade e elevado sentido de responsabilidade as funções de classificação. Aliás, acresce, também com elevadíssima qualidade técnica, situação que cumpre enaltecer.

Num quadro de participação equitativa, estima-se que a classificação fique concluída na data indicada se diariamente cada professor dedicar apenas cerca de 20 minutos às tarefas de classificação. Porém, no contexto atual, a sobrecarga de trabalho que recai sobre os que têm assegurado a classificação será da ordem de 1 hora diária, situação que traduz uma evidente falta de equidade e que deixa transparecer falta de responsabilidade por parte dos classificadores que se têm mantido ausentes do processo, ou cuja participação tem sido pontual e sem expressão quantitativa, tendo em conta o número total e itens a classificar.

Por essa razão foi ontem enviado a todos os classificadores uma mensagem, diferenciada conforme o nível de participação, apelando, nuns casos à manutenção da sua colaboração e, noutros casos, a uma participação ativa no processo, também pelo respeito e essencial princípio de dever de solidariedade profissional dos ausentes face aos colegas que integram o grupo dos cerca de 400 classificadores acima referido.

Damos por este meio conhecimento da situação a todos os diretores, apelando para o seu envolvimento ativo na mobilização dos docentes das suas escolas certificados para a classificação (General Marking – GM) nesta ponta final do processo de classificação.

Relembramos que os professores classificadores tem acesso a formação gratuita e de elevada valia técnica pelo facto de terem aceite participar neste projeto, o que para as escolas onde lecionam, pela sua valorização profissional específica e pelos benefícios que daí poderão advir para as alunos, num futuro próximo, constitui também uma mais-valia que deve ser acarinhada.

No entanto, como não podemos pactuar com a situação de desigual envolvimento atrás referida, não sendo justificável premiá-la igual modo, este Instituto irá avaliar no final do processo o nível de participação dos classificadores, pelo que o acesso ao programa de formação atrás referido será concedido desde que cumpridos critérios mínimos de participação no processo de classificação, os quais terão como referência períodos de classificação concordantes com as dispensas previstas na alínea a) do n.º 2 do art.º 2.º do Despacho n.º 4168-B/2014, de 19 de março.

O Conselho Diretivo do IAVE”

Com os melhores cumprimentos,

José Alberto Moreira Duarte

Diretor-Geral dos Estabelecimentos Escolares

Exemplo de mensagem diferenciada de ontem:

Verificámos que ainda não deu início ao trabalho de classificação de itens (General Marking), na plataforma BIM.

Considerando que o processo de classificação deverá decorrer com a maior brevidade, dado que terá de ficar concluído até dia 15 de junho, contamos com a sua participação. Recordamos que, de acordo com o Artigo n.º 3 do Despacho n.º 4168-B/2014, de 19 de março, a classificação de itens é um dos deveres dos professores classificadores e que as tarefas a desenvolver correspondem às vinte horas a que respeita a dispensa da componente não letiva prevista na alínea a) do ponto 2 do Artigo 2.º desse Despacho.

Relembramos que ao garantir a tarefa de classificação, assegura o direito de usufruir do previsto no Art.º 4.º do Despacho referido, nomeadamente «acesso gratuito ao programa de formação a distância promovido pela Cambridge English Language Assessment, da Universidade de Cambridge, que inclui a frequência dos módulos 1, 2 e 3 que conferem a possibilidade de realização do Teaching Knowledge Test», que se traduzirá numa mais-valia para os docentes, para os alunos e, claro, para todo o sistema educativo.

Certos da sua colaboração, agradecemos, desde já, a sua disponibilidade para a tarefa de GM.

Com os melhores cumprimentos,

… um desgoverno que tenta pressionar o Parlamento a fazer algo por procuração e que contesta o exercício das funções do órgão mais importante do poder judicial é que está a extrapolar bastante da esfera executiva.

Pub4Jun14

Público, 4 de Junho de 2014

Para cúmulo já se veio a saber que o recurso não tem qualquer sentido ou validade jurídica que não seja tentar atrasar a implementação da decisão do TC.

Que tudo isto seja admitido pela Presidência da República faz-me pensar que, quiçá, a Monarquia dificilmente faria pior…

Resta saber até que ponto irá o colaboracionismo activo com as repetidas ilegalidades.

Falta de consenso pode ‘enervar’ os mercados

Bullshit

Governo insiste no aumento dos descontos para a ADSE através do Parlamento

Diploma sobre descontos para a ADSE enviado à AR “rigorosamente nos mesmos termos”

Os tipos estão-se mesmo nas tintas para quem quer que seja, a menos que seja alguém capaz de os enfrentar a sério, não pela primeira vez ao fim de quase 3 anos e depois de ter exonerado dois assessores por delito de opinião.

Exp15Jun13

Expresso, 15 de Julho de 2013

… acho que é insuficiente ficarmo-nos pelos legisladores e governantes visíveis.

Há que regulamentar com clareza os períodos de nojo de todos aqueles que, numa zona de sombra enquanto consultores, assessores ou especialistas produzem os pareceres e estudos que alegadamente fundamentam decisões políticas cujos autores explicitados, quando questionados, se refugiam nos pareceres técnicos.

Porque é muito comum encontrarmos a defender lobbys junto do aparelho de Estado antigos elementos desse mesmo aparelho, no qual entraram para ganhar relações e conhecimentos e saíram para os colocar ao serviço de interesses particulares e muitas vezes conflituantes com o interesse público.

Assim como é também importante perceber os interesses daqueles que filtram o acesso à governação através dos gabinetes e decidem, em muitos casos, o que é ou não relevante para chegar ao conhecimento superior.

Porque as jogadas podem ser de vários tipos, as que resultam de pressões do topo mas igualmente do condicionamento conseguido logo a partir de pontos nevrálgicos do processo de tomada de decisões e de circulação da informação.

Nada disto é novo ou desconhecido. Só que é bom que se relembre em tempos tão curiosos como os actuais, em que alegadamente se pretende redefinir a área e a modalidade de intervenção directa do Estado em alguns sectores de actividade “social” e não só.

O que sabemos nós dos antecedentes e o que saberemos ao certo do destino dos borginhos, relvettes e ramirílios deste mundo?

Exemplifico com o caso específico de um comentador neste blogue que prometeu imensas novidades para Fevereiro e que elas seriam demolidoras para todos aqueles que, como eu, desgostam de ver decisões tomadas com o falso pretexto do interesse nacional, mas que tem estado desaparecido quase por completo há semana. À espera de…

É verdade que está tudo ligado…

Petição a favor da família, do casamento e do ensino particular entregue terça-feira no Parlamento

Cerca de cinco mil pedem revogação de seis leis, das quais cinco incidem sobre temas chamados “fracturantes”. A outra tem a ver com o financiamentos dos colégios.

Why Can Some Kids Handle Pressure While Others Fall Apart?

Não liguei a tempo, mas pelo relato do Paulo parece que Marcelo Rebelo de Sousa não enfiou o barrete.

Mail a circular entre certos e determinados circuitos. Eliminei as identidades específicas, incluindo a de um director pedagógico. Talvez por distracção de alguém recebi-o com a lista das larguíssimas dezenas de destinatários.

———- Mensagem encaminhada ———-
De: Departamento de Comunicação e Gestão da Informação (…)
Data: 26 de Outubro de 2012 15:09
Assunto: Perguntas a Marcelo
Para:

Caras e caros

É fundamental que ao longo do dia de hoje, massifiquemos a seguinte mensagem para perguntasamarcelo@tvi.pt

A ideia é que cada um de nós envie 2 mensagens (importante enviarem 2 mails distintos…..se formos 1000 pessoas a enviar, serão 2000 mails a lá chegar).

1.       Que comentários faz ao estudo do Tribunal de Contas que indica que o custo aluno é 400€ mais barato nas escolas públicas com contrato-associação?

2.       Como é possível que o estudo do custo/aluno realizado pelo Tribunal de Contas, exclua os números da Parque Escolar? E com isso diminuir a diferença de custo entre escola estatal e a de contrato-associação.

Espalhem este mail pelos vossos amigos e contactos

Cmpts

(…)

Troika dá mais um ano para Portugal atingir as metas do défice

 

Salgado quer «acordo político rápido» para dar «garantias aos mercados»

Presidente do BES diz que problema orçamental tem de ser resolvido pelos políticos portugueses.

Sol, 29 de Outubro de 2010

O “amigo do ps”, [p’st], acabará na justiça.

Algo como 2ª feira tomamos posse, 3ª feira tratamos dos profes?

Afinal…

O que mudou? A realidade?

Não me parece.

A manobra de spin é que era demasiado fraquinha?

Exp31Out09Expresso, 31 de Outubro de 2009 (agradecendo ao Maurício o stock de recortes)

Dos movimentos:

DIA 26/10, 2ª FEIRA – CONFIRMADA AUDIÊNCIA COM O GRUPO PARLAMENTAR DO BLOCO DE ESQUERDA

Dos sindicatos:

FENPROF inicia esta quinta-feira, dia 22, ronda pelos partidos