Agarrem-me


E, já agora, com que autoridade acrescida sobre os colegas de profissão? Antiguidade? É amig@ de um@ amig@? Fez uma formação acelerada no assunto?

Governo faz uma prova diferente por cada 40 professores

Serão necessários 30 enunciados diferentes para avaliar os vários níveis de ensino e disciplinas na componente específica da prova. E potenciais candidatos são apenas 1218.

Acho que me vou divertir imenso com a de História… Será com cruzinhas?

 

… sobre a piolheira, a choldra, o pântano. Já cansa e não produz resultados, porque os mandantes encerram-se num casulo mental de auto-suficiência que roça o patológico.

Até porque o que diz o que está é exactamente o que dizia o anterior. Também Sócrates insistia em que avançar para o abismo era sinal de força, firmeza, liderança.

A cegueira que acomete aqueles que se sentam no cadeirão é quase imediata.

O líder social-democrata, Pedro Passos Coelho, disse hoje, na Guarda, que os políticos em Portugal não são todos iguais, dizendo que não se pode hesitar e «andar para trás» à primeira dificuldade.

«Nós só alcançamos na vida, com esforço, aquilo que sonhámos e porque nos batemos, se à primeira dificuldade, com medo de perder as eleições, de desagradar seja a quem for, começamos a hesitar, a andar para trás. Então, nesse dia, os portugueses têm razão para pensar que somos todos iguais [os políticos]», afirmou, na sessão de encerramento da Academia do Poder Local, na Guarda.

Comparemos com Sócrates em Março de 2011, a poucas semanas do descalabro:

O secretário-geral do PS, José Sócrates, afirmou na segunda-feira à noite que o partido “nunca virou a cara às dificuldades” e que “quando está no Governo faz aquilo que deve fazer para servir o seu país”.

(,,,)

Sócrates acrescentou que o PS existe “para servir o país” e quando “está no Governo o que faz é abdicar de qualquer sentimento egoísta de popularidade” e de “qualquer tentativa ou de qualquer tentação de resvalar para a demagogia e oportunismo”. “Os portugueses sabem que, quando nós estamos no Governo frente a situações difíceis, nós somos capazes de fazer aquilo que é preciso fazer, sem nunca vacilar e sem nunca pensar em nós próprios”, frisou.

Os políticos podem não ser todos iguais, mas alguns são muito, muito parecidos.

lemming-political-parties

Porque eu duvido, a sério que duvido, que o Álvaro abra mesmo a boca sobre o mais importante. O mais certo é ser do tipo Octávio-Agarrem-me-senão-Vou-me-A-Eles-Machado.

Álvaro Santos Pereira lança livro sobre a sua passagem pelo Governo de Passos Coelho

Obra do ex-ministro da Economia promete explicar “que interesses e lóbis teve de enfrentar” durante a sua passagem pelo executivo.

A obra, com matizes de Derrida:

A leitura, com laivos de Benjamim:

Dívida de 17 milhões de Vieira ao BPN assumida pelo Estado

A empresa do presidente do Benfica, Luís Vieira, e do seu sócio, Almerindo Sousa Duarte, poderá estar envolvida num esquema de burla que, revela a edição desta quinta-feira do Diário de Notícias, terá prejudicado o BPN em cerca de 17 milhões de euros. Ora, a o Estado, na figura da Parvalorem, herdou esse crédito, classificado como incobrável.

Em dia de regresso às aulas, o ministro da Educação vem à SIC responder às perguntas que preocupam pais, alunos e professores. Clara de Sousa entrevista Nuno Crato, esta quinta-feira, no Jornal da Noite. O que gostaria de perguntar ao ministro? Deixe-nos as suas sugestões na área de comentários, mais abaixo nesta página.
E na Edição da Noite da SIC Notícias, Maria Emília Brederode Santos e Paulo Guinote comentam a entrevista do ministro da Educação.

.

Mas antes disso, ainda vou secretariar uma reunião de PCA até às 19 horas, o que me deve deixar in the mood.

Leia-se “Descontinuidades“…
ConviteSGL

Vou para carpideira, diz que tem futuro de esquerda.

 

Adenda: é a minha faceta “sinistra”!

No passado, sempre que os resultados dos alunos em testes internacionais, ou em exames nacionais, foram abaixo do desejado, a culpa foi sempre atribuídas às escolas e professores, ocasionalmente dos alunos, mas nunca dos brilhantes decisores políticos, que nunca erraram e raramente tiveram dúvidas.

Nos tempos do engenheiro e da socióloga anarquista, os eventuais sucessos foram sempre reclamados como resultado da acção esclarecida e iluminada dos governantes, chegando-se mesmo a reclamar louros por resultados conseguidos antes da entrada em vigor das medidas que alegadamente os teriam permitido. Foi uma curiosa forma de delírio narcísico.

Nos tempos que correm, do coiso e do outro coiso, os bons resultados reais em testes internacionais, talvez por não poderem ser directamente reclamados (ganhou-se algum respeito pela cronologia), são desvalorizados e, mesmo quando ficamos ao nível de países-luminária, amesquinha-se o que foi conseguido como pouco significativo. É uma curiosa forma de delírio solipsista.

Assinalava-me há pouco pessoa amiga que começo a ter posições curiosa e perigosamente afins às dos líderes vitalícios da Confap e Fenprof.

Fui obrigado a concordar, apenas ressalvando dois pormaiores.

  • Sou efectivamente encarregado de educação de uma aluna de uma escola básica pública.
  • Exerço efectivamente a docência.

Líder da JSD diz que combate ao desemprego é “questão de fé”

 

Deve haver liberdade religiosa mesmo quando a resolução do dogma, isto é, do combate ao desemprego, assenta “em três eixos fundamentais”, o primeiro dos quais é “a criação de emprego”. Estou convertido! E o moço vai longe, talvez emigre com a carroçaria sobre os eixos – mal acabe o estágio em deputado.

Só que a televisão pública está sempre disponível e aposto que os relvas e os galambas, cada quais a seu modo, estão mais do que expectantes da Palavra.

José Sócrates vai à RTP explicar as suas declarações sobre o pagamento da dívida

José Sócrates, ex- primeiro-ministro, vai estar esta noite no Telejornal, na RTP, para explicar as declarações que proferiu numa conferência em Paris sobre o pagamento das dívidas dos Estados. A informação foi confirmada por Nuno Santos, director de programas da estação pública.