Achtung!


 

no partido “não há lugar para posições monárquicas ou anti-imigração”. E que estas são “incompatíveis com os princípios universalistas, solidários e igualitários do partido”

Heil!

Poder ficar, pode, mas não será a mesma coisa.

  • Sócrates: out.
  • Zapatero: out.
  • Karamalis e Papandreou: out.
  • Berlusconi: out.

Não me lembro do nome do irlandês que também foi incitado a sair da chefia do Governo pelos mercados, mas os alemães só estavam mesmo preocupados com os porcos mediterrâneos.

A carta do governo ao FBI FMI.

Leiam, leiam, que já está em português.

A notícia de que um elemento da equipa de apoio às escolas da DREC foi alegadamente (vejam como eu sei usar o truque do “alegadamente”) afastado do lugar por ter assinado uma moção na escola onde lecciona não pode ser varrida para o lado com base em argumentos do tipo – ah, pois e como foi lá ele parar!

Porque isso significaria que na purga, por delito de opinião, é válida e faz parte dos mecanismos aceitáveis de funcionamento de um departamento do Estado.

Claro, a hierarquia dirá que não tem pode ter confiança em alguém que assina um documento contra uma política que a DRE em causa se esforça por implementar.

Mas… mas… há elementos que comprovem a incompetência ou não cumprimentos dos deveres pela pessoa em causa?

Vamos lá tentar falar a sério disto, para o caso de os senhores (já não há nenhuma margarida, pois não?) DRE perceberem: nas vossas equipas há mais de uma pessoa que não está de acordo convosco e as ameaças que foram feitas, em especial desde 2009-2010, quanto a serem demitidos todo(a)s aquele(a)s que lançassem algumas informações para fora só resultou pela metade.

Seja a norte, seja mais a sul, há pessoas que continuam a falar, insatisfeitas com aquilo que vêem, só que pedem para não se aflorar o que contam, exactamente por causa dessas ameaças. Em primeira ou segunda mão, muito se vai sabendo ou ouvindo, mas quem conta tem medo de ser descoberto(a), pois tem consciência de que a informação pode ser compartimentada e pode ser achado o rasto de quem divulgue alguma coisa.

Portanto, as coisas sabem-se… não se podem é falar em público. Por exemplo,… sobre os megas-gigas… as coisas vão-se ouvindo e lendo. Não pode é ser colocado online, para defesa e protecção das ditas fontes.

A fidelidade é relativa, em especial quando se percebe que a forma de lidar com os assuntos é abusiva. E isto é válido não apenas para a DREC, mas, por exemplo, de igual forma para a DREN e a DRELVT.

Há docentes que não se esquecem que o são e que, quando observam o que é feito, ainda se lembram que lhes poderia estar a ser feito a eles.

Portanto… se é para voltarem às charruadas… vejam lá bem como o fazem. Porque a fidelidade e o silêncio forçados, quando acabam, em regra acabam mal.

Isto é apenas uma espécie de aviso de boa vizinhança, por parte de quem está habituado a ouvir em off e calar ou a ler mails sob nick ou pedido explícito de total anonimato e não reprodução do que lê.

E isto assim não é democracia… se é que isso ainda incomoda alguém…

O estudante de 17 anos hoje esfaqueado por um colega na escola secundária de Soure foi alvo de uma intervenção cirúrgica ao tórax durante a tarde e encontra-se «estável», disse fonte do Hospital Pediátrico de Coimbra (HPC).

A “estabilidade” continua.

Teixeira dos Santos diz que PSD deve clarificar já posição sobre OE

Protecção Civil eleva para laranja alerta de mau tempo

… são mesmo ateados voluntariamente, por grupos de malta gira que vai de carro ao longo de certas estradas (até ainda de dia e nem sequer em zonas muito remotas), ateando de forma bastante primária fogos por onde passam, desaparecendo em seguida sem rasto, até voltarem a fazer o mesmo passados uns dias. Nas minhas redondezas há trajectos em que não é o primeiro ano em que se nota esta forma engraçada de passar o tempo.

Ministro Rui Pereira diz que fogos nocturnos são prova de falta de cuidado

O Miguel e o Paulo já avisaram: o despacho 11917/2010 não prenuncia nada de bom com um grupo de trabalho que vai:

a) Acompanhar a implementação das medidas para o sector da educação apresentadas no Orçamento do Estado para 2010;
b) Acompanhar a implementação das medidas para o sector da educação apresentadas no Programa de Estabilidade e Crescimento
2010 -2013;
c) Propor medidas e acompanhar a implementação do aprofundamento da reorganização da rede escolar dos ensinos básico e secundário;
d) Acompanhar a actividade da Parque Escolar, no âmbito da implementação do Programa de Modernização do Parque Escolar do Ensino Secundário;
e) Propor e acompanhar a implementação de medidas adicionais que promovam a eficiência e eficácia dos serviços prestados no âmbito dos ensinos básico e secundário, nomeadamente no que respeita à afectação de recursos materiais e humanos.

O perfil técnico-burocrático dos membros deste grupo de trabalho faz pensar em mais medidas de regra e esquadro sem olhar às pessoas e aos critérios qualitativos. Vai ser daqui que sairão propostas para fazer aquilo a que chamam racionalização dos custos no Orçamento para 2011. Preparem-se para a fundamentação do congelamento das progressões de 2011 a 2013, certamente com o acordo dos parceiros de dança:

3 — O grupo de trabalho desenvolve a sua actividade até 31 de Dezembro de 2010 e apresenta aos membros do Governo responsáveis pelas áreas das finanças e da educação relatórios mensais sobre o estado da execução das medidas que acompanha.
4 — O grupo de trabalho, com fundamentação no estado, e nas perspectivas e projecções até ao final de 2010, da implementação das medidas e da execução orçamental e financeira do sector da educação, apresenta, até final de Agosto de 2010, aos membros do Governo responsáveis pelas áreas das finanças e da educação um relatório com propostas de medidas a integrar na proposta do Orçamento do Estado para 2011.

Já agora reparem na data da nomeação e no prazo para a entrega das propostas… que eu julgo pré-existirem… mas isso sou eu que sou reconhecidamente dado a teorias conspirativas… até porque há um representante da Parque Escolar e tudo neste grupo de trabalho formado por técnicos de diversos ministérios o que dá a entender que o papel da PE na gestão dos agrupamentos vai…