A Fugir-me Pá Chinela!!!


 

Iavé publicitado, fiquei crente!

 

 

 

Porque quando um tipo quer meter-se a discutir coisas como o valor da vida e faz comparações sem sentido, com realidades inexistentes, um tipo logo desconfia se vale a pena ler o resto porque o mais certo é ser uma sucessão de outros disparates.

E é o homem doutorando em Economia da Saúde e professor universitário. Mas como é insurgente isto deve ser um economista de génio. E deve ser um fã dos algoritmos sobre quanto vale um tipo viver ou morrer.

Chiça, penico, diria a tradição nacional da Hanna Montana.

Da peça do Expresso sobre o mesmo assunto do post anterior, outra vez com o Queirozeze a negar “perfídia” e a vender banha da cobra. Nos maiores 25 desvios, desta vez medidos pela sua frequência na notas internas, a presença das escolas privadas é esmagadora e completamente desfasada do seu peso global na rede.

Exp24Jan15As declarações do Queirozeze a repetir a mesma inanidade, tipo k7.

Exp24Jan15b

 

E agora as declarações dos autores do estudo:
Exp24Jan15aExpresso, 24 de Janeiro de 2015

 

Já pensaram em algumas propostas?

No caso de Oeiras eu propunha Introdução às Isaltinices em dois semestres, com visitas de campo à Suiça. Já em Matosinhos, seria a de Peixeiradas à Narciso, com a participação especial de chefs locais muito conhecidos.

… é que talvez, em período de aulas, alguns papás e mamãs se preocupem com a hora a que os seus rebentos andam a fazer figuras tristes pelas ruas e a chatear o inocente próximo que queira sossego sem ter de aturar conversas alarves de precoces labreg@s.

Mas… se eu me lembrar dos antecedentes, não vale a pena ter muita esperança que o que me parece que mais querem é vê-los pelas costas (na escola ou na rua) ou a dormir.

E se lhes dissermos alguma cosa… é tudo normal, é a jubentude pá, nunca foste assim? E nem vale a pena responder ou há zaragata porque isto da parvoíce emplumada tem muito de genético.

na televisões:

então

 

 

Nos sites deles? Quem paga?

 

Omita-se a realidade… que é do mais duvidoso gosto. As justificações fazem-me lembrar, no desastre da argumentação (mesmo se em áreas bem diferentes), as do ex-SE Grancho.

O que diz o director da revista deveria ser motivo para ele reconsiderar a designação de “cientista social” que os icêésses tanto gostam de exibir para o exterior.

Mais certo seriam chamar-lhe dantas.

Aguardo, com curiosidade, a reacção de tantos icêésses que ainda julgo não terem atingido a idade senil.

ICS suspende revista por causa de artigo com graffiti de “gosto duvidoso”

Imagens reproduzidas no ensaio são de graffiti ainda existentes em ruas de Lisboa contra o Governo e empresários. Director do ICS diz que eram “imagens e mensagens” que podiam pôr em causa o bom nome e imagem da instituição. E nega que tenha havido censura.

(…)

O responsável assume que a decisão de suspender esta edição foi exclusivamente sua “depois de conversar com muita gente no ICS”, incluindo o novo director da revista indigitado no início do mês na base da rotatividade do cargo. José Luís Cardoso admite que a direcção do ICS nunca teve qualquer intervenção deste género na revista, mas defende-se dizendo saber que tem “o apoio dos órgãos internos” do instituto. E vinca que “não há censura” nesta sua decisão. “O que está em causa é a qualidade do artigo e não a liberdade de expressão.”

e apareceu-me amen.pt

Sacraste, um Fafe que duvida terá salvação?

 

 

Quem continuam a ser os a’men?

 

 

 

 

 

 

Coiso?

 

 

 

 

 

 

 

aquela parvoíce do “eu diria que“, expressão largamente divulgada pelo demi-léque.

Prevejo que na próxima estação a necedade evolua para o “eu diria quaisi“.

… porque vai ser difícil fazer cortes aos reformados e funcionários públicos que compensem mais este sucesso de mais um dos nossos empresários de sucesso e de referência para os nossos opinadores e governantes liberais.

Meio milhão, uns quinhentos.

… com o que eu aqui escreva do meu quotidiano.

Ainda não perceberam duas coisas:

  • Eu conheço bastante bem os limites da minha liberdade.
  • Essas pessoas ainda não perceberam que há limites para a sua interferência na minha liberdade.

Mas não perceberam uma coisa, ainda mais importante: se não se pusessem com “bocas”, dia sim, dia não, eu nem sequer teria escrito isto.

Tratem da sua vida e não me chateiem e tudo desliza com suavidade…

 

José Gomes Ferreira, de novo, ao seu pior nível.

E se, de repente, decidíssemos cumprir todas as leis?

,
O ar messiânico destes tipos em boa parte porque têm acesso livre a um canal televisivo e a um jornal do mesmo grupo é algo que me deixa ainda meio espantado.
.

Ele não percebe ou finge3 que não percebe a parvoíce que escreve ou apenas não entende que há uma enorme diferença entre não colocar todos os papéis no ecoponto e matar uma pessoa?

Será que ele não entende mesmo que há uma diferença entre o atropelo de direitos constitucionais e o incumprimento de uma regra de funcionamento do condomínio?

te

te1

Nem sei o que…

 

não sou pai, nem tutor, nem doméstico dos alunos: uma avaliação credível…

Com 45 minutos, mesmo tendo DT, há professores que precisarão de 20 turmas para ter horário completo.

Mas é tudo em nome das crianças, meu Deus!

 

[aqui]

Pior – só o Melício!

 

… num texto para o jornal I de amanhã, em que parece que terei o imenso prazer de estar de novo em desacordo com aquele ex-ministro muito normalzinho e pouco estranho, o Couto dos Santos.

Prova de avaliação é “apatetada”, “ridícula”, “absurda”, “básica” e “desadequada”, classificam os professores

Ler o bisonho e encostado Ramiro a considerar que isto é o caminho para o rigor na avaliação dos candidatos a professores é a parte mais divertida de todas… pelos vistos ele andou a formar professores décadas a fio que não sabem interpretar a intersecção de grupos representados graficamente… Ele lá sabe como tem ganho a vida…

JCN

César das Neves: Aumentar salário mínimo «é estragar vida aos pobres»

Página seguinte »