A Carne É Forte


 

A própria música, daquela sem copiar?

… o desgaste pessoal que vai fazendo com que eu tenha começado a reduzir imenso – e até com pesar meu – a aceitação de convites para ir conversar ou debater aqui ou ali temas que muito me interessam.

O meu lamento por ter recusado idas a Odemira (seria já amanhã), Tondela (esteve marcado para Janeiro), Idanha-a-Nova (era para Março) ou mesmo, embora sem decisão final, a Felgueiras. Depois da ida a Aveiro, penso ir a um debate em Lisboa e talvez outro em Odivelas, mas a decisão é mesmo a de reduzir drasticamente um esforço que dá gozo pessoal pelos contactos estabelecidos e mantidos, mas que vai pesando e retirando tempo ao descanso e à família, a grande sacrificada por estas coisas.

Vai sendo tempo de me lembrar que já fui mais novo, que agora tenho mais horas de trabalho e tenho aturado muita gente doida ao longo destes anos e não falo apenas daquele tipo de submarinos que nem dão comissão.

 

a analizar ética. Questionando a coisética do meu comando-tele – mudei do filme porno que a rtp transmite desde o prec: ver o pecado transcende-me, viva Sá Pata, Zé Perna, …!

 

Passos Coelho invocou “exclusividade”, Parlamento diz o contrário

Em 1999, o actual primeiro-ministro requereu o subsídio de reintegração, de cerca de 60 mil euros, destinado a deputados em dedicação exclusiva. Na altura, apresentou no Parlamento todos os rendimentos declarados ao fisco, para provar a “exclusividade”. Ali não há nenhuma referência à Tecnoforma ou ao CPPC.

Prescreveu?

É bem possível.

Mas…

(está difícil enviar um piropo às machas do be, incluindo aquela cheia de cola-e-veda que, de tão empertigada, parece que engoliu um pinheiro)

Ahhhh… coisas mai’lindas!