A Banquinha


Reform school for bankers

The world’s leading investment bank puts itself under the spotlight

… mesmo que tenham sido os responsáveis pelos erros de gestão.

Banca perde 8000 trabalhadores no âmbito do processo de reestruturação

Obrigada a cumprir planos de recapitalização e a ajustar a estrutura à redução do nível de actividade, o universo de efectivos na banca portuguesa reduz-se em 8000 desde a chegada da troika até 2017.

… conforme planeado pelos liberais de aviário.

Oito maiores bancos com milhões de euros em imparidades

Executivos dum grande banco falido riam-se a discutir quanto dinheiro iam pedir ao Estado. E não devolver…

Se alguma dúvida ainda restasse de que os banqueiros são gente divertida (e sempre animados pelas melhores intenções) agora podemos ter a certeza absoluta, graças a uma conversa entre dois altos executivos bancários irlandeses.

A conversa foi gravada em 2008, em vésperas de o Estado meter mil milhões de euros no Anglo-Irish Bank, uma instituição falida – o BPN de lá. Um dos executivos pergunta ao outro como chegou ao número de sete mil milhões como a soma ideal que vai pedir ao Estado. O outro ri e diz que o tirou do rabo.

 

… apesar de até isso ser ilegal se não for assessorado pela santa casa republicana?…

 

Banif nega ligação entre prémio a gestora e ajuda do Estado

Banif não violou regras, só compensou má gestão

Banif processa ex-directores no Brasil depois de detectar irregularidades

Caso contrário ias ser genial para outro lado!

Ricardo Salgado “Portugueses não querem trabalhar, preferem o subsídio”

O presidente do BES, Ricardo Salgado, disse na sexta-feira que os portugueses “não querem trabalhar” e que preferem viver à sombra do “subsídio de desemprego”.
.
Mas podemos sempre generalizar e dizer, com base no que se vai sabendo, que os banqueiros portugueses são uns incompetentes, quando não aldrabões ou então hábeis gestores de negócios junto do Estado.
.
Afinal os que não estão falidos, a fingir que não estão falidos ou a sacar dinheiro ao Estado (quantas vezes  enfraquecendo ainda mais a CGD) para não falirem são quantos?

… e uma das grandes esperanças do Pântano Central com direito a salamaleques, colunas de opinião na imprensa de referência e, no fundo, o destino destinado aos predestinados?

Risco de nacionalização abre porta a adiamento da capitalização do Banif

O presidente executivo do BPI, Fernando Ulrich, disse hoje ter ficado “perplexo” com as declarações do primeiro-ministro sobre a concessão de crédito pela banca às empresas, quando não conversou com os bancos sobre o assunto.

Ahhh… estaria só a falar da CGD, esse banco público malandro que só serve para encobrir os buracos de certos privados?

Banco Cipriota de Negócios?

Autoridades cipriotas investigam alegado perdão de dívida a políticos

Que se fartam de dar conselhos e largar bitaites sobre como governar a nação, a começar pelos ulricos & salgados?

O dinheiro que temos na banca está seguro?

Por ser mentira ou porque alguém quebrou a Omertá?

Rconomico12Mar13

Diário Económico, 12 de Março de 2013

Bancos portugueses alvo de dezenas de buscas por suspeitas de cartel

16 juízes e 25 procuradores, com a ajuda da PSP, procedem a mais de duas dezenas de buscas em, pelo menos, seis bancos por suspeitas de cartel em spreads e comissões. As buscas prendem-se com a “verificação de indícios de troca de informação comercial sensível no mercado nacional”, refere o Ministério Público.

Se os isaltinos continuam à solta, não será por aqui que veremos seja quem for dos ulricos & salgados a ser provado culpado de qualquer coisa.

Mas…

Muito útil por cá:

La prochaine crise viendra du shadow banking

E sem contar com o BPN:

Em 2012, o Estado injetou 4.500 milhões de euros no BCP e no BPI para os recapitalizar, e, já este ano, 1.100 milhões no Banif, no qual ficará como acionista maioritário, pelo menos, até junho. O Estado investiu ainda 1.650 milhões de euros na CGD, neste caso enquanto seu único acionista.

Somando os valores que o Estado já decidiu injetar no Banif, BCP e BPI, no total, ao abrigo da linha da troika (Fundo Monetário Internacional, Comissão Europeia e Banco Central Europeu), já foram gastos 5.600 milhões de euros no sistema financeiro português, a que se soma o valor investido na CGD.

Mas os ulricos ainda têm o desplante de…

O presidente do BES, Ricardo Salgado, recorreu aos três planos de ‘amnistia fiscal’ lançados pelos governos desde 2005, dirigidos a quem tem património escondido no estrangeiro.

Este não poderia aguentar sem a ajuda?

Presidente do BCP diz que entrada do Estado com três mil milhões de euros é cara para o banco

Fernando Ulrich anuncia lucros de 249 milhões de euros e diz isto:

Nada como ser grandes gestores com os dinheiros e apoios alheios. Acho que é isto a que chamam empreendedorismo liberal.

Chega a ser deprimente a transparência como a agenda mediática se presta aos interesses de certos vultos quando o vento fica adverso. À revelação de falhas de memória sucedem-se entrevistas antológicas. A confirmações de condenações seguem-se anúncios de novos recursos. Só não dei pela reacção daquel’outro arguido.

… andam por aqui…

O mais divertido é quando dizem que devolvem e tal… tem-se visto…

« Página anteriorPágina seguinte »