É uma prova escrita, concebida por luminárias que nem sequer sabemos quem são, que vai fazer o que anos de estudo superior não fizeram de acordo com o ministro que deixa esses cursos funcionar e que aprovou que não existisse nota mínima para aceder aos politécnicos?

«Estamos a falar do sistema de ensino, estamos a falar do futuro, estamos a falar dos nossos jovens. Então não tem obrigação o Estado de selecionar os melhores e promover os melhores na escola pública? Claro que tem a obrigação», completou.

E depois há esta parte com o seu quê de pornografia política:

Tenho 100 professores à procura de um lugar