Terça-feira, 24 de Fevereiro, 2015


Travis, Why Does It Always Rain On Me

Eu cá por mim dava já os diplomas à nascença, conforme os pergaminhos, apelidos e conta bancária.

Aos pobrezinhos (retomando aqui o jovem investigador Homem Cristo), porém, só dava diplomas para serem professores, mas tendo de fazer prova escrita complementar para exercer. Mais uma oral de ingresso em lambe-botismo.

Politécnicos propõem ao Governo eliminar exames de acesso aos institutos

Mas por acaso fazem-se novas turmas por causa de mais uns repetentes? Com turmas a 30 cabe de lá tudo um pouco, nem sequer as lâmpadas consomem mais.

A unidade de custo, como nos contratos com os privados, é a turma e essa tem o mesmo valor com 27 ou 29 alunos. Aquilo de multiplicar os 4.000 euros é aritmética preguiçosa para espantar os tios patinhas.

Engana-se quem quer ser enganado.

 

Agora – o alemão todo kü do esboroado bloco:

 

Eine Regierung die Deutscher als die Deutsche ist

 

Mais uma Carta de Guia de Casados, versão anti-chumbo, uma versão da especificidade da pilhérica prova.

 

O problema: reportagem no Jornal da Uma da TVI, desta vez uma escola algarvia com muito menos de um milhar de pinheiros, parece que três unidades, uma complicação sobre a Processionária, pais ignorantes em pânico, jornalistas ávidos da desgraça sem solução, criançada pós-curiosa coçada, a culpa é do governo.

 

A solução: cinco míseros aéreos de investimento num pozinho bacillus thuringiensis – não refiro marcas comerciais só para aborrecer – e já está! Desde 1911 que qualquer não ignorante sabe.

Esta e outras soluções mais mecânicas. Só que as soluções não agradam aos küs deste mundo.

Ide pentear macacos nabos!

 

 

 

cortou relações c’o Bruno durante trinta dias.

 

Página seguinte »