… tendo sido informado que poderia, durante a inquirição e conforme as minhas declarações, passar a arguido. O que não aconteceu, como é natural, pois não cometi quaisquer actos criminais e isso é por demais evidente, no meu escasso entendimento.

O curioso é que uma das duas criaturas que levantaram este processo, me apareceu ontem, apresentando-se “de carne e osso” para me dirigir algumas observações abusivas.

Quando a questionei sobre a razão porque tinha hoje de ir prestar declarações teve a distinta e rematada lata de me dizer de não saber de nada, embora eu hoje tenha disto a sua assinatura e nome na autoria do processo.

E é assim que conhecemos com quem lidamos.

(e este post não tem direito a comentários porque, ao contrário de outras pessoas, eu não tenho tempo para criancices…)