Há um inexplicável nervosismo no poder instalado (incluindo parte da oposição socialista central) quanto ao que o Syriza consiga ou não para a Grécia, de acordo com as suas promessas eleitorais.

A razão para este excesso de treme-treme, disfarçado com agressividade verbal, será a de recearem que se demonstre que há outros caminhos e que o que seguimos é apenas a dos acagachanço?

Não podem deixar os homens fazer as coisas para que foram eleitos? Sei que não é habitual e que daria um “mau” exemplo, mas… será mesmo que temos por cá gente com tanta autoridade moral para julgar quem foi legitimamente eleito?

(já agora… o Syriza não chegou ao poder encostando-se ao PASOK…)

Anúncios