É curiosa a diferença entre a notícia na TSF rádio e o título no site. Na primeira sublinhava-se que 2014 foi o ano em que as exportações menos cresceram desde 2009, tendo ficado largamente abaixo das importações. No segundo caso, a comparação desaparece.

Mas o essencial não muda: o salvador da Economia nacional, pelo qual o vice primeiro-ministro ia rasgando todas as vestes, vai progressivamente demonstrando que uma coisa é vender cervejolas e refrigerantes num país quase tropical, outra fazer mais do que passear as melenas por certames internacionais à conta de todos nós.

E se, afinal, o ministro Álvaro não fosse tão inepto como os portinhas o quiseram pintar na sua ânsia por colocar no lugar quem lhes abrisse a porta para os subsídios e colocações profissionais

 

Anúncios