Ainda a Nato e a falha Europeia

A Nato foi criada faz 65 anos, e nessa ocasião as despesas eram cobertas em 50% pelos EUA e os restantes 50% pela Europa e restantes países parte da Nato, como Canadá, mas a Europa “entrava” com uma forte percentagem desta metade.

A Europa, agora, já há uns anos, sempre desunida e achando-se – erradamente – a coberto de uma boa força infinita dos EUA foi desinvestindo na Nato, já não havia URSS, não havia perigos, e hoje os EUA suportam 75% da despesa.

O perigo da Rússia para os EUA desde 1991, quando a URSS se desfez, é hoje diminuto. Os EUA apesar de espiarem de forma muito pouco correcta os seus aliados europeus – não se sabendo se o inverso também acontece – ainda não deixaram cair a Nato.

Se a Europa continuar a falhar em tudo, se não se unir, também numa defesa comum do seu espaço único (?), desunido, o perigo vai ser a muito curto prazo, nosso europeu. Não dos EUA!

Continuar-se a fazer de conta que toda a zona do Mediterrâneo sul não é uma gravíssima ameaça para a Europa, é lirismo ou estupidez. Mais estupidez ou incoerência, até!

Já se viu de forma tão triste e dramática como refugiados a pedir auxilio, a pedir comida morrem – e vão continuar a morrer – ao largo de Lampeduza, e a U E assobia para o lado. Manda lá o senhor da Comissão Europeia, fazer figuras tristes, como é seu hábito e costume.

Já se viu e há pouco tempo os EUA – não a Nato – terem que ajudar a Europa, quando a Líbia – aqui abaixo! – entrou em colapso e não houve coordenação europeia – zero! – e a França achou que fazia alguma coisa e foi um desastre. Valeram os EUA! Mais uma vez!

Ainda não se viu todo o Mediterrâneo Sul achar que nada tem a perder e à força das armas – que sem ordem, por lá vagueiam – entrar pela Europa adentro.

Aí será tarde, e em vez de a Desunião Europeia continuar com umas forças armadas parcelares País a País, em vez de se unir em torno de um todo único, que seria a única via, ampliando a posição na Nato, com essas forças. E, a segurança interna de cada Estado seria a cargo das polícias locais, que deveriam entreajudar-se , faz disparates – a UE – de desorganização, com uma Comissão e tudo o mais que não funcionam, e a Alemanha a querer hipoteticamente mandar!

Os países do Norte Europeu, Alemanha abrangida, estão a fantasiar a pensar que o Mediterrano é lá em baixo, e o Sul da Europa para seu contentamento desparece se o sul do Mediterrâneo aí entrar, e fica tudo resolvido. Não será assim, quando tudo a sul estiver perdido o norte não escapará e será tarde. À força das armas do outro lado do Mediterrâneo!

Talvez seja menos importante perder-se tempo com distrações de escutas – que por certo entre amigos não deveriam ser feitas, mas onde andam os amigos? Onde? – que dão um gozo à Rússia, e a Europa unir-se, defender-se ser única, e estar a 50% na Nato como os EUA!

Augusto Küttner de Magalhães

Anúncios