Nada contra a introdução de autores estrangeiros nas leituras recomendadas para o 2º ciclo. Alguma coisa contra contos ou obras específicas com imensos termos que, só com Inglês desde o berço, dá para a miudagem pronunciar. Não estou a falar de dois ou três incidentes, mas de bués deles.

Anúncios