Terça-feira, 3 de Fevereiro, 2015


o pinóquio 44, em “”””””entrevista””””””” à chique, as dívidas são para se pagar.

 Confusos?

 

U2, Running to Stand Still

É ver do Diário da República o ritmo de criação de cursos de especialização para aceder a este grupo de recrutamento.

Estou sem perceber se os colegas vão desaprender inglês ou enfarinhar-se em mais métodos pedagógicos de antanho para o 1º ciclo… sendo que tudo poderia resolver-se de outra maneira que não obrigasse os candidatos a pagar por algo que me parece em grande parte desnecessário ou, se é mesmo necessário, que deveria ser assegurado pelo MEC no âmbito da formação contínua.

Porque isto de assinar de cruz uma série de cursos de que não se percebe sequer se os “especialistas” formadores são os mesmos que formam os professores do 220 e 330, não se percebe bem o que vão fazer…

Diferente e bem mais importante seria reorganizar de forma coerente o currículo dos 3 ciclos, porque as metas, enfim, são outra coisa.

kraten

Olá querida

Meu nome é Sra Zeinab Abdul, da Síria, e meu falecido marido estava trabalhando na Síria engenheiro companhia petrolífera, e eu estava trabalhando no hospital a partir do escritório central das Nações Unidas na Síria antes da guerra. Meu marido havia sido morto em um ataque à sua maneira de trabalhar, veio a ele em uma bomba de ônibus, matando-o e o motorista e guarda-costas Além disso, meu marido recebeu antes de sua morte, 5,3 milhões dólares a partir do Office of Food Allot Síria O Ministério do Petróleo na Síria Para o fornecimento de equipamentos e matérias-primas e da reconstrução do norte e do sul, oleodutos e refinarias que a guerra-rasgado Síria.

Eu decidi entrar em contato com você para obter ajuda por favor, eu ficarei muito feliz se você deve considerar para me ajudar sem me trair quando o dinheiro é a transferência para sua conta bancária. Eu estou entrando em contato para um relacionamento comercial de longo e ao investimento no seu país. meu marido de abençoada memória depositou o valor de US $ 5, 300, 000,00 em um banco na república de Lomé Togo com o meu nome como o parente mais próximo. É por isso que eu decidi entrar em contato com você. Por favor, todas as comunicações devem ser através deste e-mail apenas para fins confidenciais. Assim que eu receber a sua resposta positiva demonstrando seu interesse vou colocar as coisas em ação imediatamente. Em relação ao anterior, vou apreciar uma mensagem urgente indicando a sua capacidade e vontade de lidar honestamente com este projeto.

Em segundo lugar, eu gostaria que investir o dinheiro em seu país e também vivem lá, é a minha intenção de compensá-lo com 20% do total do dinheiro por seus serviços eo saldo será o meu capital de investimento.

Eu não tenho um número de telefone direto por causa da crise, mas ainda podem se comunicar através de e-mail, até quando você vai receber o dinheiro em seu país, à espera de sua resposta urgente e positiva. Por favor, mantenha esta operação por si mesmo só porque esse dinheiro é minha última esperança na terra, e eu não preciso de nada aconteça com ele. Eu aconselho a não divulgar essas informações a qualquer outra pessoa, até mesmo o seu melhor amigo, até que tenhamos acesso ao fundo. Eu rezo para o sucesso desta operação

Por favor, responda eu estarei esperando por sua resposta.

Segurança e cuidado

Sra Zeinab

 

o estado matou por privação da cura da Hepatite C. Abra-se um inquérito e promovam-se os inquiridos!

Qualquer luva submarínica resolveria…

 

 

 

… será que alguém está mesmo interessado em demonstrar como a transferência de competências legais das escolas e agrupamentos para as autarquias contraria abertamente a LBSE (mesmo se há lá umas passagens que podem ser retorcidas e pouca gente já a considere seja para o que for) e os diplomas relativos à gestão escolar e nomeadamente à “autonomia”?

Porque é por demais evidente, mas… ninguém se parece incomodar que até o recente despacho 6/2014, publicado em 26 de Maio, seja completamente torpedeado no seu artigo 3º ou que o artigo 8º do decreto-lei 75/2008, republicado no decreto-lei 137/2012, seja considerado irrelevante, à semelhança de diversas outras passagens.

… que, tal como o anterior, se ri da ordem legal sempre que lhe interessa e aposta na estratégia do facto consumado, usando dos artifícios jurídicos dos recursos após recurso como qualquer litigante de má fé.

Isto só não é uma “brincadeira de crianças” para usar o vocabulário algo apatetado do actual PM porque trata de questões muito sérias e causa danos individuais e colectvos muito grandes.

Tribunal anula despacho sobre prova de professores em acórdão “demolidor”

 

 

dos dois lados das grades

 

 

… em especial se forem apenas @s outr@s a terem de mudar porque nossa é a quase perfeição irrepreensível, sendo o quase apenas mera cortesia.

… até se cumprirem umas coreografias de final de mandato.

Pub3Fev15

Público, 3 de Feverieor de 2015

O reencontrar geracional, é necessário!

As mães/pais com filhas/filhos hoje ,entre os 30 e os 40 anos, na melhor das intenções, com empenho e bastantes sacrifícios tentaram – terão conseguido? – educar/criar os seus descendentes “dando-lhes tudo”. Este “dar tudo” incluiu comida, roupa, educação, estudos – se conseguível de nível superior – férias, automóvel. Muito do que tantos nunca tiveram nas mesmas idades, e tantos, nem mais tarde.

Foi com vontade, com o esforço devido e que deve ser feito, quando se decide ter filhos. Não tenhamos quaisquer dúvidas. Logo, foi bem feito! Terá sido totalmente conseguido, apreendido agora, nesta ocasião de tantas Crises, que não só a financeira?

A todo e cada um, sejam filhos entre os 30 e os 40 anos, sejam seus pais, cabe, com algum possível distanciamento pensar – algo que nos deixam pouco, hoje, fazer – no assunto.

Sendo que, muito do que foi feito por essas mães e pais há 30/40 anos, não vai ser possível ser (re)feito, pelas mães e pais de hoje. Aqui, mais acentuadamente a vertente da crise financeira boicotou essas amplas possibilidades, logo, havendo vontade de filhos ter, tudo será mais longínquo de alcançar. Mas nem tudo é indispensável!

Porém, esta dificuldade em atingir algo que foi dado com amor de mãe/pai, mas talvez demasiado “materializado” vai ter que ser, hoje, e nos anos próximos, substituído pelos valores que se esvaziaram na aflição do “ter”. Do imediatismo com “ter”!

Talvez, seja agora chegado o tempo de refazer “esses” valores que se perderam e que estão na génese das várias crises em que estamos atolados, que não se resolvem – todas – com dinheiro. É necessário muito mais que dinheiro, e também algum, dinheiro! Há mais vida para além da dívida, do deficit e do todo ter que “ter” dá!

Nunca – mas nunca – por obrigação, mas com vontade, pensamento, bom senso e com uma diferente postura – ao momento e não há 50 anos, antes – e ao futuro que se nos vai sendo apontado, será de reconstruir valores – que não existem ou estão mancos – de família – sem qualquer necessária implicação religiosa – por forma a ser feita a ligação intergeracional com “ser e saber”, que está extraviada.

Nunca por obrigação, nem com tempos marcados, mas com possíveis – necessários – tempos presenciais, todas as gerações se devem querer primeiro, e ter de seguida, respeitando-se e apreendendo/aprendendo “isso” umas com as outras, com abertura a uma modernidade constante mas com outra forma de encarar os relacionamentos humanos, que faz a ponte ao passado, passa pelo presente e vai para o futuro. Com mais equilíbrios e muito mais humanismo.

A. Küttner de Magalhães

Agora que já todos andam esquecidos…

Charlie1Charlie Hebdo (1970)