Parece cientificamente provado que o exercício da cargos ministeriais, em particular primeiro-ministeriais, provoca uma acelerada degradação dos neurónios, o que é especialmente grave quando a reserva é escassa.