Publicado com autorização, embora com reserva de identidade.

La BNS change de cap et abolit le taux plancher
POLITIQUE MONÉTAIRE — A la surprise générale, la Banque nationale suisse a aboli avec effet immédiat le taux plancher de 1,20 franc pour un euro. Une décision inéluctable pour son président Thomas Jordan

A verdade como eu a vejo…

Não há que ter vergonha em ser professor : ser professor é uma vida inteira de despesa , de investimento, de formação, de acumular saberes para transmitir, para ensinar, para formar gerações, para fazer países …no fundo, ser professor é ser construtor de futuros !

Os professores do epe, refiro-me aos professores, aos que têm de manter vivo o epe, os que têm de  viver com decência sem envergonhar o país, os  que têm de viver com um salário abaixo do proposto para salário mínimo na Suíça, os que desde há muito,  para conseguirem esses desideratos, têm de fazer das tripas coração, têm de engolir a desgraça escondida, têm de ir pagando o que não é tão urgente, têm de ser e continuar a ser profissionais orgulhosos  do trabalho que executam, acabam de receber mais uma machadada que me parece será a estocada final…

Para os professores, seres normalmente inquietos e ávidos de saber, ávidos de saberes, ávidos de cultura, de formação, de convívio, não tem sido fácil…e não é de agora.  Quando se negociou  e se achou legítimo para ter uma vida decente, uma paridade euro /franco na base do 1,59, ninguém achou ( talvez alguns,  que acham que a vida na Suíça é barata, especialmente se viajam e se alojam sempre com ajudas de custo ) que os professores iriam enriquecer com isso…era tão só um salário que contemplava a qualidade do trabalho dum professor, anos e anos de estudo e competência, colocado no estrangeiro, muitas vezes longe da família e a trabalhar em horas e locais que conduziam ao isolamento,  e tinha em atenção, no caso da Suíça, um país em que o custo de vida, segundo organizações internacionais é pelo menos 1,7 vezes mais caro do que Portugal. Este salário permitia alguns  « luxos » :  ir de vez em quando ao cinema, comprar um ou outro livro, ter algum prazerzinho.

A troika, dizem que a troika, começou por criar descontos, bloquear carreiras, travar promoções, reduzir regalias, aumentar impostos, baixar salários a tal ponto que chegou uma altura em que a paridade franco/euro se tornou táo desfavorável ao euro, que a Suíça, para salvar a sua própria economia, manteve artificialmente a paridade franco/euro no 1,20. Ou seja, com um euro poderiamos comprar 1franco e 20 e logicamente 100 euros eram 120 francos e por ai fora.

Nesta altura, neste ponto, aumentou o consumo de conservas, as importações caseiras de legumes , alhos, cebolas, produtos da terrinha, porque se tinha chegado ao limite do aceitável…caminhava-se e andava-se já na miséria escondida,  ( continuo a falar dos professores que vivem do seu salário ).

Hoje veio esta notícia,  (Franco = Euro)!!!…eu li e ainda não acredito e o que é que os professores podem fazer ?…na nau Catrineta comeram as solas dos sapatos ; há muito que deixei de usar sapatos de sola.

Sou professor do EPE, sou orgulhosamente professor, tenho honra na profissão que exerço, respeito os meus alunos, respeito os meus encarregados de educação, mas por dever de honra,  pergunto ao meu superior hierárquico : Tendo a consciência plena que não depende de  V. Exa, pergunto no entanto que pensa V. Exa fazer perante esta situação, que todos sabemos,  resulta das diretivas da economia suíça, mas não deixa de ter efeitos devastadores no exercicio da nossa profissão docente,  que se regra por normas de decência, de saber estar, de saber ser, de saber comportar-se, atitudes estas que estão enraizadas no corpo docente mas que dificilmente poderão ser plenamente atingidas devido a esta  catástrofe financeira que se abateu sobre nós ?

Confesso-o sem vergonha. Venho pedir-lhe que tudo faça para me ajudar a continuar a ser professor.

 

Docente devidamente identificad@