Dá-me um bocado de dó ver gente toda muito certificada a embaraçar-se por causa de uma posição de confronto com o MEC e o desgoverno.

Há agora quem diga que aquilo era “apenas um documento de trabalho”.

Treta.

Por acaso, tive conhecimento de alguns dos trâmites que o documento já tinha percorrido desde Novembro e a preocupação dos senhores oficiais do Iavé em que ele acabasse numa gaveta, no desejado esquecimento.

E depois há aquela coisa de se querer ter um Conselho Científico, mas apenas para assinar de cruz o que os directivos decidiram fazer.

Uma palhaçada completa, mas, em simultâneo, um óptimo guia para identificar alguns acagachados do sistema.