… acerca da sua completa falta de relacionamento com uma sociedade de que faz parte e com as suas actividades ou dos restantes sócios e a concluir que entre nós:

  • Há imensas sociedades cheias de sócios importantes que, aparentemente, não têm qualquer actividade.
  • Há imensos sócios, gente informada e destacada, que deixa o seu nome ser associado a sociedades de que desconhece as actividades ou “pensa” que estarão inactivas.
  • Há muitos políticos que são, a acreditar no que dizem, profundamente parvos e desconhecedores, a acreditar no que dizem (repito), das regras básicas do funcionamento das tais “sociedades” a que deixam associar o seu nome.
  • Há muitos políticos que, a acreditar nesta total parlapatice, são profundamente incompetentes para exercer cargos de responsabilidade na gestão da coisa pública,a acreditar no que afirmam sobre as suas actividades privadas.

Do que atrás escrevi não se infira que acho que Marques Mendes, essa sumidade da nossa República, tenha algo a ver com o caso em investigação mas tão só que, a acreditar no que ele diz desconhecer (e não é a primeira vez que o faz, pois o seu nome também já apareceu ligado ao caso Tecnoforma), que não parece pessoa em quem se possa confiar, pois é muito esquecido ou distraído com assuntos que lhe dizem respeito.