Porque, em boa verdade, para el@s, tudo isto é normal… alguma vez sentem que devem prestar contas pelos arranjinhos que fazem?!

Ess’agora! Nem lhes passa(va) pela cabeça que não podem, só porque dá jeito ao partido, contratar este ou aquele para fazer qualquer coisa, mesmo que desnecessária.

Afinal, como é que os oleodutos financeiros, dos mais pequenos, sempre funcionaram?

Santos Silva deveria era preocupar-se em explicar a necessidade da “encomenda”, o procedimento usado, o currículo do “escolhido” para tal missão e o trabalho que ficou por fazer, em vez de se perder em considerações de tipo jurídico, que ignoram… a Lei.

O ex-ministro da Educação da altura de Guterres, Augusto Santos Silva, saiu em defesa de Maria de Lurdes Rodrigues e mostrou-se “indignado” na sua página oficial do Facebook.