Segunda-feira, 8 de Setembro, 2014


Kasabian, eez-eh

 

é qualquer advogado perorar sobre… futebol.

 

 

… que o pessoal tenta adivinhar quando sairão, há que entender que por “normalidade” se entende que o “início da semana” não é o “fim da semana” e que o “da semana” não explicita exactamente de qual semana se está a falar.

Pode ser a chinesa de dez dias da dinastia Shang ou a semana asteca e maia de treze dias.

É mais fácil acertar no euromilhões com o vieirinha a ponta esquerda.

 

antes que a fenprof se adiante!

 

 

 

emplastro.

 

 

O arranque (que raio de expressão!) do ano letivo decorre normalmente, o lectivo é que não.

 

 

Escolas com piores resultados vão ter créditos horários

Secretário de Estado do Ensino Básico e Secundário revelou, em entrevista à Antena 1, que a medida será alargada às escolas e agrupamentos que registem insucesso escolar significativo.

João Grancho disse, em entrevista à Antena 1, que as escolas com piores resultados vão poder receber créditos horários. O Ministério da Educação passa a atribuir este reforço a um conjunto de 80 escolas ou agrupamentos que tenham evidenciado dificuldades.

O secretário de Estado refere ainda que esta medida serve para apoiar “medidas que reforcem uma intervenção precoce” e que estes apoios devem “ir ao encontro das escolas com mais dificuldades ao nível do insucesso dos alunos”.

A tutela dos créditos horários, atribuída desde 2011, era até então exclusiva às escolas e agrupamentos com melhores resultados.

Claro que a coisa deve ser feita para que os resultados melhores e não como medida meramente paliativa, para tudo continuar na mesma.

Mas… a ideia em si, é – a ver se não me arrependo – boa,

Já sabemos que o conceito de “normalidade” desta equipa ministerial é especialmente flexível.

Governo garante que arranque do ano letivo vai decorrer com normalidade no ensino especial

Ministério da Educação garante que nenhum aluno com necessidades educativas especiais vai ficar sem apoio

E depois há aquela coisa deliciosa de, na letra da lei, as NEE serem necessariamente permanentes, mas o SE Grancho dizer isto:

Em entrevista à rádio pública, João Grancho admite que caso as necessidades educativas sejam temporárias os apoios passem também eles a ser temporários.

Eu até concordo com ele… o problema é que eles não mudaram a legislação que diz o contrário.

Estado contrata mais 63 guarda-costas para proteger ministros e juízes

Passos Coelho diz que não é obrigação do Estado garantir emprego público

Estou ansioso por acabar com o actual emprego dele. A sério que estou. E olhem que até pensei que ele merecia uma hipótese de mostrar que não era a mediocridade que se confirmou.

Quanto ao mais, desde que o Tremoços de Lima tenha dinheiros do QREN para subsidiar empregos pretensamente “privados”, vivemos no melhor dos “liberalismos”.

A aprendizagem da surdez é muito importante.

The Best Teachers Don’t Do What They’re Told

Sugestão da A. C.:

The Most Dangerous Phrase In Education

 

There’s poverty in the UK, but we are better off calling it inequality

If you think the world is too divided into those who have the cream and those who don’t, you ain’t seen nothing yet.

 

logo tu?

 

 

IMG_6713