A conversa fiada sobre a maneira do Novo Banco Bom não ir penalizar os contribuintes e tudo o que é mau ser suportado pelos accionistas do velho Banco Mau faz-me lembrar aquele episódio com 20 anos e que fez a fama do Peres Mettello durante anos a fio, quando o Mário Soares disse que só depois de o ouvir é que tinha percebido a forma de financiamento da ponte Vasco da Gama.

Com tudo o que agora sabemos dos encargos das PPP, percebe-se bem que o dito Metello apenas ajudou (de forma voluntária ou ingénua, não sei) a multiplicar uma mensagem spinada e destinada acalmar a malta.