quando os da Guiné Equatorial querem ser portugueses!

E que não se imaginaria pior.