Quinta-feira, 26 de Junho, 2014


Odissey, Going Back to My Roots

A ATA (e nem sempre desata) tornou-se uma das presenças mais regulares no meu mail e eu nem sequer correspondo…

Deveria convidá-la para jantar, com factura pedida, ou será que o senhor director-geral levaria a mal?

Exmo.(a) Senhor(a)

PAULO JORGE ALVES GUINOTE
NIF: *********

As faturas que exigiu com o seu número de contribuinte (NIF) em 2013, conferiram-lhe o direito a um benefício fiscal que a AT já considerou na sua liquidação do IRS.
Este benefício resultou das faturas com número de contribuinte (NIF) nos setores de atividade de:

– Manutenção e reparação de veículos automóveis;
– Manutenção e reparação de motociclos, de suas peças e acessórios;
– Alojamento, restauração e similares;
– Atividades de salões de cabeleireiro e institutos de beleza.

As faturas que exigiu com o seu NIF foram decisivas para a AT monitorizar rigorosamente a entrega ao Estado do IVA que pagou.

O papel dos cidadãos na exigência de fatura é essencial para a diminuição da economia paralela e da evasão fiscal.

Além dos benefícios antes referidos, em 2014 a exigência de fatura com NIF em qualquer setor de atividade habilita automaticamente os consumidores ao Sorteio Fatura da Sorte.

Com os melhores cumprimentos,

O Diretor-Geral da AT

José António de Azevedo Pereira

Aqui por estas bandas quintajenses e não pelo Brasil (por aí, só um bento desorientado ao ponto de precisar de marcar 4 golos e trocar o Éder pelo Vieirinha). Há uns tempos. Ainda lhe podemos ir dando comida, mas… ninguém deu por falta dele?

Foto2304Foto2306

… nada extensível a muitos outros, a começar por um gajo que andou ali no meio campo a passar bolas aos ganeses e só no fim do jogo fez um remate de jeito.

Ao menos o Beto pareceu sentir alguma coisa.

IMG_5025IMG_5026

… numa tarde tropical quente, envergando fustão vermelho, cabelo ensebado e um joelho entrapado, mas mesmo assim derrubará os incréus e os guinéus, deixando os d’além-mar a ver passar os galeões.

Ou não.

CristIrina

Estarem lá (quase) todos os actores do “grande consenso”… aqueles que nunca erraram e raramente tiveram dúvidas.

Tudo o que foi bem feito lhes é devido, tudo o que correu mal foi por causa dos ingratos, acomodados, não avaliados e esquerdistas professores.

Obrigado ao Prudêncio por ter achado a coisa…

Livro

 

IMG_5022