Quinta-feira, 12 de Junho, 2014


Jack White, Lazaretto

Os japoneses gostam de fruta brasileira.

 

D’ass-se auto!

 

copa

“DN” é o mais afetado pelos despedimentos na Controlinveste, “O Jogo” é o menos

Profissionais estão a ser chamados um a um durante hoje e amanhã. Dos 160 despedidos, 65 são jornalistas.

A ministra das Finanças insinua que não se recebe dinheiro da troika por causa da decisão do TC, mas esquece-se de dizer que o prolongamento do programa assistencial foi pedido pelo Governo.

O prazo inicial era 17 de Maio e assim foi comemorado pelo vice.

Claro que a ministra Maria Luís faz jogos de linguagem em cima de artifícios da sua responsabilidade. Se é mentir? Para mim, é pior!

PortasZero

Governo recupera cortes salariais que estavam em vigor no ano passado

Redução de 3,5% a 10% nos salários acima de 1500 euros foi proposta pelo Governo para compensar chumbo do Tribunal Constitucional aos cortes mais acentuados aplicados este ano.

… sem ser pelo critério exclusivo do Tio Patinhas?

Governo quer separar educação especial de dificuldades de aprendizagem

A proposta integra as conclusões do grupo de trabalho que, ao longo dos últimos meses, teve a cargo um estudo para a revisão da legislação.

(…)

As conclusões do grupo de trabalho apontam para a necessidade de alguma revisão da legislação, sobretudo ao nível da integração num único diploma dos diversos normativos dispersos, que deve, acima de tudo, clarificar conceitos, sobretudo no que diz respeito à separação entre necessidades educativas especiais permanentes ou temporárias ou, dito de outra forma, entre o que realmente se enquadra na educação especial e o que deve apenas ser classificado como dificuldades de aprendizagem.

«Essa distinção, à partida, da população alvo da educação especial é determinante. É necessário especificar e clarificar que públicos é que são alvos da educação especial», afirmou João Grancho, que sublinhou que as necessidades educativas especiais se transformaram numa «grande categoria» onde cabe tudo, afirmando que é preciso rever o que considerou uma «fragilidade ao nível dos conceitos».

«Mesmo que venhamos a introduzir alguma diferenciação a este nível, as escolas deverão continuar a prestar os apoios aos alunos que precisarem», frisou o secretário de Estado.

Esta última passagem, ao contrário do que pode parecer a uma primeira leitura, é muito preocupante.

Quanto ao que afirma João Grancho, trata-se exactamente do inverso… na última década, a Educação Especial tornou-se cada vez mais um corredor estreito, cheio de categorizações derivadas da CIF que espartilham por completo o modo de encarar os alunos com necessidade evidente de um acompanhamento não indiferenciado.

Mas este desgoverno detesta tudo o que possam ser “coisas” humanas “caras”.

 

 

10 Great Science Reads That You Can Take to the Beach

É a auto-censura. A cedência às conveniências. O evitar de conflitos incómodos para garantir futuras vantagens. O auto-silenciamento é mais seguro, mais confortável e está muito bem de saúde.

Mas ainda não me apetece.

Is Anybody Listening to Teachers?

(…)

School districts need to support their teachers instead of trying to manage what we do. Ultimately, we all want the same thing—for our students to get the time and attention they need to be successful. That goal is very personal for teachers. We see our students every day; we know what their strengths and weaknesses are and what they want for themselves. They are not just numbers to us, they are our children.

When fall comes, the teachers in my district will be forced to work harder than ever before. They will do so because to fail would hurt our students; that isn’t an option for any teacher I know. But I believe that as teachers work harder our voices must grow louder. We need to help the public become more aware of what teachers do both in and out of the classroom and how important that work is to our schools and to the students within them.

After my experience this year, I think it is essential for all teachers to remember that even when we are ignored, we must never allow ourselves to be silenced. We are not just speaking out for ourselves, but for those who rely on us.

A sugestão de leitura é da A. C. mas veio mesmo a calhar… mesmo a calhar… em tantos sentidos.

 

IMG_4820