… a declaração que O Observador é o jornal oficial do Blasfémias? Tipo Sin Feinn para o IRA. Um dá um ar respeitável e legítimo, enquanto o outro serve para a trolhada.

Porque não faz muito sentido uma das principais figuras do jornal estar a tarde toda blogar sobre episódios do 10 de Junho coisas que, pelos vistos, não pode publicar no seu jornal, ainda por cima criticando os jornalistas de outros órgãos de informação e, por qualquer razão admirável, sindicalistas da classe docente, abrindo a porta para os comentadores habituais vituperarem os professores todos por arrasto.