Terça-feira, 3 de Junho, 2014


Blind Ref

11 fotos que os pais não devem publicar nas redes sociais!

Só de pensar nesta santa criatura, encerro o meu caso.

Iavé chamou os arcanjos durante o big bang.

E eles vieram.

“Eu não chamei?”

“Não.”

“Não?”

“Sim, mas estávamos ocupados com o nada”.

“Sim ou não?”

“Big Iavé, os nadas é que respondem a lápis.”

“Cambada de hitleres!”

E Iavé, o sumo, ficou chateado para todo o sempre e chamou os sempre arcanjos durante o sempre big bang, o chamado período bigmileranice.

 

… porque sempre se arranjam “envelopes financeiros” para tapar uns buracos, colocam-se técnicos superiores a dar aulas como se fossem formadores especializados e se a coisa correr mal aparece um fundo qualquer para encobrir a coisa e nunca é responsabilizado seja quem for.

O que eu gostava mesmo é que apresentassem dois ou três casos de evidente sucesso de municipalização da rede de ensino na Europa, com demonstração das vantagens.

Não digo que não existem… apenas digo que até ao momento não apareceu com clareza alguém a demonstrar de forma fundamentada que é uma solução que, a mais do que curto prazo para fazer inaugurações e uns floreados, tem mais vantagens do que inconvenientes.

Mas o que é capaz de ser mesmo uma xalente ideia é fazer empresas municipais para depois gerir a rede escolar municipal.

É o pogueguesso.

Pub3Jun14

Público, 3 de Junho de 2014

… graças às falhas nos procedimentos, aquilo que o vice-Portas é incapaz de reformar porque vai além do seu entendimento de meia idade.

Se fosse há 25 anos… talvez ele escrevesse sobre o assunto prosa valente. Agora só assina guiões pífios feitos por pressurosos assessores.

Antigo comandante da Protecção Civil gaba-se de ter podido gastar até 80 milhões sem prestar contas

Juízes confrontam Gil Martins com facturas de restaurantes de centenas de euros, várias delas datadas do mesmo dia mas passadas em localidades diferentes.

 

Sou elegível para votar nas directas do ps, sou? Mesmo?

 

If that high world, which lies beyond

Our own, surviving Love endears;

If there the cherish’d heart be fond,

The eye the same, except in tears —

How welcome those untrodden spheres !

How sweet this very hour to die !

To soar from earth and find all fears

Lost in thy light — Eternity !
 

It must be so:  ‘tis not for self

That we so tremble on the brink;

And striving to o’erleap the gulf,

Yet cling to Being’s severing link.

Oh !   in that future let us think

To hold each heart the heart that shares;

With them the immortal waters drink,

And soul in soul grow deathless theirs !

 

[Lord Byron] If …

João Pedroso defendeu repetidamente a teoria de que os grupos de trabalho nomeados pelos ministros funcionam de forma muito própria, longe do escrutínio público e de obrigações contratuais como o cumprimento de prazos: “Alguns funcionam durante dez anos. Há pessoas que ganham dez vezes mais do que eu ganhei e que não fazem nada”.

… que sabem imenso nmas só praticam em opinião, embora tendo oportunidade para fazer muioto mais?

«Se TC pudesse desaparecer o país só beneficiaria»

Comentário de Medina Carreira no programa «Olhos nos Olhos» na TVI24.

(…)

No mesmo programa, o conselheiro de Estado Vítor Bento garante que o Governo ficou sem margem de manobra para baixar impostos.

«Não sei como Governo vai baixar impostos se não pode cortar na despesa», questionou.

Se Vitor Bento não sabe como diminuir a despesa sem ser cortando salários tem evidentes limitações enquanto economista.

Olhem-me um belo exemplo.

Óbidos avança com escola municipal sem acordo fechado com o Ministério da Educação

(…)

Novas línguas como o espanhol, oficinas de ecodesign ou a atividades como yoga, ‘stand up paddle’ ou golfe são algumas das novidades que este ano letivo arrancará nas escolas de Óbidos “tendo em vista muito daquele que será o alinhamento da escola municipal”, anunciou hoje o presidente da autarquia, Humberto Marques.

As ofertas arrancam, porém, sem que as negociações para a abertura da escola municipal no concelho estejam fechadas, já que a autarquia teve que se debater com “algumas resistências” recusando aceitar algumas das condições propostas pela Direção Geral dos Estabelecimentos de Ensino (DGEE).

A câmara recusou discutir o modelo de financiamento “sem discutir primeiro toda a arquitetura do projeto”, afirmou Humberto Marques, sublinhando que “só depois de saber qual a verdadeira autonomia da escola municipal” haverá condições para contratualizar verbas com o Ministério da Educação e Ciência (MEC).

Pois… a “autonomia”… Leia-se contratação de pessoal docente e não docente.

Em vez de agradecer, ainda se queixa.

Aliás, atendendo à extrema cólidade dos documentos que apresentou sobre o tema, o vice-Portas deveria beijar o chão que pisam os juízes que chumbaram aquelas medidas do OE.

Portas diz que TC tomou uma decisão política que põe em causa o DEO e reforma do Estado

A “reforma do Estado” não pode ser apenas o redireccionamento do dinheiro sacado aos cidadãos para as clientelas amigas. É o que se passa já com algumas áreas da Segurança Social, com a Saúde e que se pretende alasrgar na área da Educação.

Sempre me disseram que um bom cristão não deveria faltar À verdade, mas pelos vistos não enviaram o memorando a alegados democratas-cristãos.

SONY DSC