Está a cumprir as obrigações constitucionais que tanto afirma respeitar, um presidente que promulga sucessivos orçamentos inconstitucionais?

Não se encontrará por ali uma pinguinha de auto-crítica?