Soldadores, mecânicos de carros, operadores de máquinas ou técnicos para a indústria automóvel. Estas são algumas das 23 áreas de prioridade elevada das escolas no ensino profissional no próximo ano letivo.
.

O foco está centrado maioritariamente em formar trabalhadores para a indústria e para aquilo que pode ser exportado.

O presidente da Agência Nacional para a Qualificação do Ensino Profissional (ANQEP) – agência do Governo que coordena esta área – Gonçalo Xufre, diz que estas prioridades para o ensino profissional foram definidas com base em estudos e depois de ouvir as necessidades das empresas.

Para além de formar alunos para trabalhar na indústria, o ensino profissional deve também apostar em áreas como os técnicos especialistas em vinhos ou que trabalhem com idosos, bem como técnicos comerciais e de vendas.

Eu já perdi o roadshow. Uma pena…

Quanto ao mais… é uma forma de subsidiar indirectamente uma série de empresas e empreendedores, mas já se tinha percebido que era esse o objectivo…