… em que a maldade humana parece ser o que predomina em certos espíritos, a par da mentira, da tentativa de manipulação e da vontade de fazer o mal a outrem por não se ter mais nada dentro que valha a pena.

Não sei se esperava, como encarregado de educação, ter de aguentar aquilo que nunca aguentei como professor, de certas criaturas que a natureza fez com que progenitassem contra todo o bom senso. E depois percebe-se que os rebentos não podiam ser de outra forma, pois a cepa original já estava estragada.