… mais não é do que manter fora da área da governação aqueles que assim se pretendia que se mantivessem antes do 25 de Abril.

É necessário recordar a muita gente (incluindo ao actual PR) que, como Nuno Saraiva do DN escrevia no seu mural do Fbook, que no Estado Novo havia eleições. O problema é que o direito de voto era restrito, sendo proibido aos que, nos tempos que correm, correspondem às correntes políticas anti-troika.

O que se passa é que se pretende prender o país numa dovernação em que o espectro político respeitável é o que seria aceitável em 24 de Abril de 1974, numas eleições abertas à CEUD e à Ala Liberal.

Mais nada.