… as regras para a vigilância do teste/exame made in Cambridge.

Por isso, vou apenas dizer que são um monumento enorme – mais um – de desconfiança em relação ao trabalho dos professores. Da autoria do IAVÉ-autónomo ou emprestado algures. Não sei. Apenas que não há finitude para a idiotice.

Por muito que eu admita que há gente que deveria estar em casa, sem discussões e sem reduções salariais, que só ganharíamos com isso, continuo maravilhado com a enorme capacidade de qualquer burrocrata produzir guiões acerca da forma como os professores se devem comportar e, inclusivamente, mover durante a realização do raio da prova.

Mas desde que houve alguém que numa escola proibiu os saltos altos em dias de exame, já estou preparado para tudo…