Terça-feira, 22 de Abril, 2014


David Byrne e Morcheeba, Dance on Vaseline

Era a edição relativa aos 40 anos da Educação pós-25 de Abril.

É interessante como em 5 anos o tom das intervenções dos telespectadores mudou radicalmente. Houve tempos em que eu quase pedia uma armadura para me defender das acusações de todos os lados sobre os professores. Desta vez, tudo muito mais compreensivo.

Quanto ao meu ar aparentemente mais sisudo deve-se em boa parte ao facto que já estava a antecipar o trabalho intenso do 3º período.

Quanto ao resto, em segmentos de poucos minutos, sem levar cassete para descarregar, é o melhor que consigo fazer. Apesar de ser das vezes em que fui mais mainstream, ainda levei com uns mails de protesto a dizer que mais valia eu ficar calado.

Temos pena… 🙂

Notas emocionais a uma facada de Maria Filomena Mónica

A propósito de A Sala de Aula

ACostaProcurando olhar as coisas como foram, sem hiperbolizações adjectivantes.

Ou seja, procura ser um livro de História e não de política a posteriori.

Este texto de Henrique Monteiro é verdadeiramente anedótico. Para ele o que interessa são os ordenados nonminais e não o que as pessoas recebem efectivamente.

Ou seja, no limite, se uma pessoa mantiver um ordenado nominal de 2000 euros mas receber apenas 1200 devido a impostos e cortes, perdeu menos salário do que alguém que recebe 2000, mas viu o valor nominal descer de 2200 para 2190.

Sofismas de quem se acha probo e acima de qualquer suspeita de delírio.

Decreto-Lei n.º 60/2014. D.R. n.º 78, Série I de 2014-04-22, do Ministério da Educação e Ciência

Estabelece um regime excecional para a seleção e o recrutamento do pessoal docente dos estabelecimentos públicos da educação pré-escolar e dos ensinos básico e secundário na dependência do Ministério da Educação e Ciência.

Página seguinte »