… se fazem campanhas eleitorais.

“Se for para tirar ainda mais, prefiro que não me aumentem”

Deolinda vai a pé para a fábrica, porque não tem para o autocarro. Na confecção de Adelaide, há operárias que “fogem” ao almoço para esconder o facto de não terem para comer. Aumentar o salário mínimo vai ajudá-las? Sim, desde que não seja moeda de troca para mais precarização, respondem Farinha Rodrigues, Carvalho da Silva e Pedro Adão e Silva.
.

E olhem que – mea culpa – sei do que escrevo, pois ainda acreditei que existisse um pinguinho de vergonha no Pedro.

Não havia.