in·jú·ri·a

(latim injuria, -ae, injustiça, prejuízo, dano, insulto)
substantivo feminino

1. Acto ou expressão altamente ofensiva. = INSULTO

2. Violação do direito de outrem.

3. Estrago, detrimento.

“injúria”, in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/inj%C3%BAria [consultado em 07-04-2014].

Há quem a confunda com “opinião não elogiosa”.

Um debate intelectual exige ideias, argumentos e não que alguém se ache acima da crítica e que, por eventual falta de perspectiva, não perceba todas as implicações dos seus actos ou escritos.

Faz-se “debate intelectual” quando alguém que não partilha ideias com outrem, não se nega a debatê-las.

Há muita gente que me critica porque insisto em debater a “liberdade de escolha”, que não considero ser a melhor opção, neste momento, para a Educação em Portugal.

Mas não me nego a debater o conceito e a sua prática.

O mesmo com quem discorda da avaliação ou quem concorda com esta ADD.

A negação do “debate intelectual” acontece quando se pretende impor uma opinião única, baseada numa mistura de preconceitos com olhares parcelares sobre um fenómeno, não abrindo espaço para o contraditório, que se considera “injurioso”.

Não é uma questão de currículo.

É toda uma outra coisa.