Segunda-feira, 10 de Março, 2014


Tame Impala, Feels Like We Only Go Backwards

… consumindo produtos, fazendo mexer o mercado.

Governo quer limpar balanços dos bancos para “libertar crédito para as empresas”

rm

PRIVATIZAÇÃO DE ESCOLAS: SIM OU NÃO?

Eu devia ser cinco tostões mais tolerante e paciente com a chateza militante e a burrice voluntária, mas a vida é demasiado curta para ter de aturar, sem refilar, esse tipo de inevitabilidades. Porque é inevitável que o nosso quotidiano acabe polvilhado por essas coisas e pessoas assim, só que não me venham dizer que tenho de as aguentar e calar, em nome de coiso e tal, a convivência e etc. E depois dizem que tenho mau feitio, que sou quezilento e que não sei o que mais, mas pelo menos o meu neurónio fica mais calmo quando é protegido pelos cotovelos.

NORMA 01/JNE/2014: Instruções para a Inscrição de Provas Finais e Exames Nacionais

Estabilidade é Essencial para Reorganizar

Apreciação da Pró-Ordem acerca da Proposta do MEC de alteração do regime dos Concurso

… e não é pela primeira vez quando constato que:

  • Se fizer críticas gerais a procedimentos e comportamentos considerados menos apropriados, um tipo é acusado de não ter coragem para dar os nomes aos bois (e distintas fêmeas, I presume…) e de se ficar por denúncias inconsequentes.
  • Se fizer críticas direccionadas, apontando factos concretos e atitudes individuais, um tipo é acusado de ser um raivoso crítico ad hominem (ou uma qualquer variante da expressão).

No que ficamos?

No silêncio?

Não, não é de um aluno meu ou sequer deste ano lectivo.

É o início de um trabalho de 11º ano que me enviaram (em papel, no original)…

IMG_3953

 

Get Ready for a Russo-German Europe

The Two Powers That Will Decide Ukraine’s Fate — and the Region’s.

10_03_14IMG_3939IMG_3944

Mais pontos de encontro do que de desacordo, incluindo com a audiência. Quando se procura o bom senso, há coisas que se tornam mais ou menos evidentes para quem andar de boa fé nisto.

Porque soube há pouco que o Francisco Santos também foi nomeado para o CNE, como membro indicado pelo grupo parlamentar do PCP, o partido a que ele garantia não pertencer nos tempos de submarino nos movimentos de professores.

Sim, esse, o grande defensor da Escola Pública desde que um tipo se aposente a tempo (aprendeu com o seu mentor Vargas a dar o salto) e vá para vereador que sempre dá umas senhas de presença mesmo sem pelouro.

Deve ser giro ver aqueles dois a desconversar.

Ele perdeu-se no seu próprio labirinto mental. E agora até confunde o cargo de conselheiro no CNE com um alto cargo na administração pública, considerando mesmo que vai exercer o poder.

E não entende que não é criticado por ser “de direita” (ele já foi “esquerdista”, tudo é transitório) mas porque virou o bico ao prego e agora (tudo é transitório) defende e faz o que criticava há menos de uma mão cheia de anos. Quando criticava as nomeações “de esquerda” por serem apenas na base do amiguismo e na afinidade ideológica, que é exactamente o seu caso.

E nem vou recordar os aspectos “éticos” da figura, registados em mails profundamente ofensivos que me foram enviados com ataques “ad homine” 🙂

Via Crónicas do Cão que registou o momento feiceboquiano de indignação:

RM

Mas ainda bem que ele se ofende e se sente atingido.

Embora a mimese do PM deva, em breve, ser substituída pela atitude socrático-relvista.

Foto2160

Ainda há quem, maldosamente, apregoe que eu vou pelo rangel – mas é facto preferir o seguro do assis, um gajo estala-lhe nas fuças e não acontece nada, a não ser a outra face, acreditemos no momítico cristo do ps!