Falhas sistemáticas nas PPP da água custam 93 milhões ao Estado

O Tribunal de Contas conclui que contratos não protegem o Estado e exige menos rentabilidade para os privados. As previsões de consumo de água ficaram longe da realidade e favoreceram os concessionários.

Falhas sistemáticas, projeções erradas e contratos que não protegem o Estado mas apenas os privados. São estas as conclusões de uma auditoria do Tribunal de Contas às PPP do setor das águas que existem em 27 concelhos.

Isto são apenas 27 concelhos e na área das águas…

Multipliquem por 300 em matéria de Educação e terão o caos, mesmo se uma parte se procurar portar bem.

O poder local é uma conquista da Democracia mas, como a nível central, esse argumento tem servido para encobrir, branquear ou mesmo absolver alguns dos maiores atentados ao “bem comum”.

A gestão de proximidade, por si só, não resolve nada pois não são assim tão poucos os autarcas que, mesmo defenestrados em eleições, deixam um lastro de encargos para o erário público só possível por manifesta incompetência ou interesse em engordar outros interesses.