Se os cursos foram criados à força, por pressão da tutela, que quer assim aliviar os encargos financeiros, transferindo parte da carga lectiva para fora das escolas…

… e não venham dizer que a culpa é dos professores, porque foi o MEC que decidiu atropelar todas as alternativas ao amado vocacional de inspiração teutónica, não autorizando a criação de outros cursos ou a abertura de turmas de outras variantes que já estavam no terreno, algumas delas com provas dadas no encaminhamento dos alunos.

Ensino vocacional descarta interesses dos alunos