Quarta-feira, 5 de Fevereiro, 2014


Eurythmics, When Tomorrow Comes

 

O tempo é du caraces, até os alavanquistas o contam com referência à crendice.

E logo este que era, segundo seguro, o piado, para ser o século d’hollande, o pio.

 

 

Monforte, escola com amianto e degradada.

Escola Sara Afonso, Olivais, amianto é retirado durante as aulas

Oeiras, 2 turmas do 10º ano sem aulas de português.
[youtube=http://youtu.be/m5llzq7ZlSw

Já lá iam uns bons anos que não leccionava o 8º ano e algumas das matérias que mal se afloram no 2º ciclo. è sempre um especial prazer poder levar aos alunos temas como a beleza da arte renascentista e o nascimento do pensamento crítico moderno. Porque permite explorarmos materiais riquíssimos e explicarmos a origem de muito do que pensamos, ainda hoje, sobre o mundo, a Humanidade, a necessidade de análise racional dos assuntos e de tolerância com as posições alheias. Temas que não são, pelo que se vai cada vez percebendo melhor, acessíveis a muita gente com responsabilidades enormes na condução deste país.

O mais certo é acharem que isto é uma completa falta de tempo e o que interessa é mesmo só saber como usar reproduções do Leonardo na promoção de novas cervejas ou parafusos.

Acabei hoje a ronda de testes e não sei se fui demasiado ou pouco exigente para 40-45 minutos: Teste Hist8Fev14. Na opinião del@s claro que a coisa foi difícil, em especial porque nem cábulas decentes já sabem fazer e muito menos, em alguns casos, usá-las de modo discreto.

Mona

O ano lectivo começou há 5 meses… não demorou muito: RedeEscolas.

E quero lá saber se acham narcisismo. Gostei de os escrever, gosto de o divulgar. E, como disse, já recebi o pagamento, por isso… não estou aqui para enganar seja quem for, quanto muito para irritar a maioria, neste ou naquele capítulo. Falta-me é chegar o hardback, que dá um ar mais respeitável a qualquer coisa.

IMG_3646

UlricoFilho

Nomeação aqui. E aposto que é liberal desde pequenino e tudo.

Há que estabelecer prioridades. Mirós, não! Ulricos Filhos, sim!!

Nem é a questão de querer vender a retalho o acervo de Mirós do BPN, quando não se preocupa em recuperar os milhões que a Galilei (ex-SLN) deve ao Estado, que atinge níveis estratosféricos, nem sequer em penhorar os bens dos seus maiores devedores.

Eu também acho que é possível que entre os 85 quadros ou desenhos (não sei, não os vi), haverá material de 2ª ou 3ª ordem.

O que acho estranho é que nem se preocupe em mandar saber se pelo menos 20 ou 30 não teriam qualidade para ficar nos museus nacionais e, de caminho, diga que o Estado não tem 30 ou 40 milhões para manter a colecção completa.

Porque isto é um disparate a dois níveis:

  1. Há muitos milhões desperdiçados pelo Estado que dariam, sem problema, para pagar a manutenção da parte mais apetecível do espólio.
  2. Um zero em avaliação de arte decide, desde já, dizer o preço que quer arrecadar (foi o que ouvi na TSF, quando referiu que o Estado não tinha 30 ou 40 milhões e que era preciso definir prioridades), o que é de uma idiotice enorme e só possível em que confia a cultura a um barrete.

As burrices dos outros não podem justificar as burradas destes, até porque, se formos abaixo da superfície, os laços familiares na sem vergonhice espalham-se de forma oleosa pelo laranjal.

O resto é conversa de excluído.

Braga: Pai em fúria agride funcionária na escola em frente aos filhos

Uma funcionária foi agredida a murro por um pai, ontem de manhã, no Centro Escolar de Maximinos, em Braga.
O alegado agressor, pai de dois alunos do Centro Escolar de Maximinos, queria deixar as crianças por volta das 8.15 horas e reagiu mal quando lhe foi dito que a escola só as pode receber a partir das 8.30 horas. O pai forçou, então, a entrada, no recinto escolar, agarrou a funcionária, encostou-a à parede e agrediu-a, confirmou ao ‘Correio do Minho’ o director do Agrupamento de Escolas de Maximinos, António Pereira.

Bulimundo, pá, controla lá isso…

New Afghanistan law to silence victims of violence against women

Small change to criminal code has huge consequences in country where ‘honour’ killings and forced marriage are rife.
.
A new Afghan law will allow men to attack their wives, children and sisters without fear of judicial punishment, undoing years of slow progress in tackling violence in a country blighted by so-called “honour” killings, forced marriage and vicious domestic abuse.
.
Onde estão os apoiantes das guerra do Bush Jr, agora que dava jeito aparecerem?
.

A PROTECÇÃO DE CRIANÇAS E JOVENS

Governo recua e não devolve 30 milhões a universidades

Reitores não ouviram «o que esperavam». Crato vai falar com o primeiro-ministro novamente. Conselho de Reitores alerta para as dificuldades.

(…)

De acordo com o presidente do CRUP, «a situação vai ser analisada mensalmente», mas frisou que espera uma solução por parte do Governo antes do meio do ano, até porque, disse, será o estado a que as universidades vão chegar nessa altura que o vão exigir.

«Há-de haver um momento em que o CRUP decide quando é que vamos passar das reuniões à ação. Acho que esse momento vai acontecer nos próximos meses», afirmou.

Em novembro, quando o CRUP cortou relações com o Governo, Rendas colocou o seu lugar à disposição, e fez depender do evoluir da situação a sua continuidade, tendo decidido manter-se em funções até ao final do primeiro trimestre deste ano.

«Mantenho o que disse desde o princípio, não costumo mudar de opinião. Vou aguardar», disse hoje Rendas sobre a sua condição de presidente demissionário do CRUP, como cita a Lusa.

Passos critica anterior política para a ciência

«Durante vários anos, conseguimos transferir mais recursos para o sistema e atribuir mais bolsas. No entanto, quando medimos depois o número de patentes que são registadas, o número de artigos científicos que são publicados».

E depois sempre se poderá avaliar melhor a competência de quem, nos dias logo a seguir às mortes, explicou de forma tão detalhada como tudo se tinha passado.

Há alunos que prometem contar como são as praxes

 

… porque assim nada se espera del@s, nada se dá de complicado a fazer e o que se dá, quando é mal feito, tem sempre desculpa.

O chato mesmo é alguém passar por saber fazer alguma coisa e não arranjar justificações da treta para fazer asneira atrás de asneira.

E não é que por vezes aquel@s lá de cima ainda levam com cargos honoríficos que é para elevarem a pobre da auto-estima e fazerem ainda menos do que antes?

020214(c) Antero Valério

Foto2030