Por cá há uma curiosa relação com as manifestações e tomadas de ministérios e escadarias e praças e coisas assim. Cá são más porque atentam contra a democracia, lá fora – longe – são um sinal de democracia.

Não contesto a razão desta última opinião, apenas a hipocrisia reinante e o evidente duplo padrão, em que se qualificam como radicais e agitadores aqueles que cá agem de forma muito mais cordata do que lá.

Governo da Ucrânia demite-se, mas as ruas continuam a pedir mais