O ex-deputado social-democrata reagiu, ao início da tarde, à notícia publicada hoje pelo Jornal de Notícias com o título “Fisco apanha Marques Mendes em venda ilegal de acções”, garantindo que, “ao contrário do que é insinuado […], nenhum facto me diz pessoalmente respeito”, pois “o contrato de venda de acções a que a notícia faz referência não respeita a qualquer transacção pessoal feita por mim”. 

O ex-ministro de Cavaco Silva esclarece que foi “gerente (e não sócio ou accionista) até há dois anos” da Isohidra e que o que está em causa “em toda esta matéria é uma interpretação jurídico-fiscal em torno do imposto aplicável a um determinado contrato”. Uma situação que o agora também comentador da SIC considera “corrente na relação do Fisco com os contribuintes e, particularmente, com as empresas”.