… nesta posição do presidente da Confap. Há três meses, quando já tudo isto era óbvio, andava muito mais calmo e cordato, só embirrando com os professores, como era norma do antecessor e passou também a ser a sua até perceber que o MEC, num dos poucos actos de lucidez, não renovou a relação preferencial que outra ministra em guerra com os professores tinha com uma das suas muletas favoritas.

Presidente da Confap: “Não tenho memória de um início de ano escolar com tanta instabilidade”

Com o fim do primeiro período de aulas chegam a público as preocupações da direcção da confederação das associações de pais, que lamenta não ser ouvida pelo Ministério da Educação e Ciência.

Não faz mal, até porque o líder da Confap andou muito ocupado até às autárquicas com o apelo ao voto nulo, algo que é divertido em quem depois ainda tem a lata de criticar as atitudes cívicas dos professores.

Vamos lá ao essencial: há tranche ou não há tranche?