Domingo, 8 de Dezembro, 2013


Paul Weller, My Ever Changing Moods

… produzem efeitos em seis meses. Já desconfiava disso quando reclamou para o PAM o crédito pela melhoria ocasional dos resultados nos exames de Matemática do Secundário em 2008.

As narrativas sobre Educação estão ao rubro, sendo cada uma tão ignorante e intelectualmente indigente como a inversa.

… do que a de Marcelo Rebelo de Sousa, esta noite.

Montero resolve com 2 golos e o leão isola-se na frente

Education in Finland: Pisa isn’t the full story

Despite Finnish education’s strong performance in Pisa, it isn’t all perfect – science and maths standards are declining and top-performing students aren’t being pushed enough.

… é o Henrique Monteiro do Expresso.

Sei lá… se ele diz para lhe chamarmos o que quisermos… devemos ser obedientes e esperar que ele não se amofine muito.

Esta semana, no caderno especial que envolve o Expresso como dedicatória a Nelson Mandela vários dos cronistas habituais do semanário evocam o líder sul-africano.

Melhor ou pior.

No caso de Henrique Monteiro, a evocação é de si mesmo e de tudo aquilo que ele já foi como repórter em território de guerra, ouvindo balas a passar e vendo gente a morrer. De Mandela pouco se lê, lê-se Monteiro a falar do passado de Monteiro. Em tons apologéticos.

O passado é uma coisa interessante que molda a nossa visão do mundo e nos retira por vezes a perspectiva do ponto em que estamos.

Como aquelas grandes damas de outrora e de agora, belíssimas antes de deixarem de o ser, mas insistindo em querer sê-lo, empoando-se, espartilhando-se ou retocando-se em busca desse passado perdido.

Como se o passado legitimasse o presente e se transformasse nele.

Salvaguardando as distâncias, é como se eu insistisse em que o meu Sporting – que nem àquela Liga Europa dos pobres foi – é uma grande equipa europeia só porque ganhou uma Taça das Taças há quase 50 anos.

Henrique Monteiro ainda não percebeu que está como a Marquesa de Merteuil.

Campanha contra a violência Conte até 10 nas Escolas será lançada nessa sexta

Trabalho será feito nas escolas dos municípios com maiores índices de mortalidade de jovens.

Página seguinte »