Um dos especialistas em Educação do Blasfémias explica o fracasso sueco nos PISA 2012 com a imigração.

Claro que o gráfico tem daquelas escalas manhosas em que parece ser o que não é e falta o peso relativo dos imigrantes no total da população.

Claro que o “especialista”, qual paquiderme analítico, nem sequer se lembra que a composição da população portuguesa – de acordo com a sua lógica estreitinha – explicaria facilmente os maus resultados de Portugal durante as décadas de retorno de muita gente de África ou, mais terde, de imigração.

O problema é que temos esta malta a botar opinião e até há quem ache que aquilo é uma análise qualquer quando se trata de outra coisa, bem mais complicada.