Diziam @s pitonis@s do momento que o dr. Pires de Lima Júnior era/é/será/seria uma espécie de sebastião da nossa economia e que isso justificava as tropelias do ministro Portas para o meter no Governo á força toda.

Ora, o dito cujo deu ontem uma entrevista à TVI, coisa que só por conjunção catastrófica dos astros e do meu escasso entendimento me levaria a assistir.

Mas, por distracção, acabei a ouvir uma passagem nos destaques noticiosos mais tardios da TVI24 na qual ele dizia algo como “eu sou pai de família mas não tenho medo do dr. Mário Soares”.

Isto é profundamente parvo, porque não se percebe se ele quer dizer que os pais de família são cagarolas se quer dizer qualquer outra coisa.

Para além de que a parvoeira foi dita, de modo personalizado, no contexto dos alegados apelos à violência por um senhor idoso e que me parece incapaz de conseguir fazer mossa ao espírito do Fernando Pessa. Se o iluminado júnior Pires de Lima se referia às eventuais consequências dos tais apelos, a coisa continua a ser parva (a malta que ouve o dr. Mário Soares já está muito longe das práticas carbonárias) e é agravada com um erro semântico a menos que o senhor ministro conheça a sinédoque, o que seria de estranhar em pessoa tão cuidadosa nas suas relações intelectuais.