Quinta-feira, 21 de Novembro, 2013


O negócio é saltar rapidamente a publicidade…

Keane, Bend and Break

ponto!

… meu caro José Manuel Fernandes, não são inanidades

D.C. attorney general seeks repayment of Options school funds

D.C. prosecutors have asked a judge to force Exceptional Education Management Corp., a for-profit company founded by the former managers of Options Public Charter School, to begin repaying $753,569 allegedly owed to the school, according to court documents filed Tuesday in D.C. Superior Court.

The school for at-risk youths needs the money to address a significant budget shortfall, according to the motion filed by the Office of the Attorney General. The court filings are part of an ongoing lawsuit alleging that three former Options managers funneled millions of taxpayer dollars to EEMC and another company they ran.

Penso que valem tanto ou mais do que uma citação amputada sobre a situação em Nova Orleães.

A antiga superioridade mural dos comunistas erguia-se por vezes sobre o apagamento de partes da memória ou a reescrita de partes da História. A actual tentativa de superioridade moral dos liberais anda pelos mesmos caminhos…

Afinidades…

Será que é boa ideia?

Escola Básica do Vale do Âncora e Escola C+S de Caminha

_____________________

A iniciativa mundial “Cidades pela Vida – Cidades contra a Pena de Morte” é promovida pela Amnistia Internacional e realizar-se-á em várias localidades do mundo no dia 30 de novembro, sublinhando assim a afirmação do valor da vida. Esta iniciativa iniciada em 2002, conta com a participação de 1625 cidades de 89 países, entre os quais Portugal. Desde 2006, um total de 84 cidades portuguesas já participaram nesta iniciativa. Este ano, a Câmara Municipal de Caminha, a convite da organização Amnistia Internacional, apoia a iniciativa das Cidades pela Vida.

As Bibliotecas Escolares da Escolas Vale do Âncora e de Caminha decidiram integrar essa iniciativa no seu Plano de Atividades e definiram um conjunto de atividades que culminará na iluminação simbólica de um edifício público em Caminha e em Vila Praia de Âncora. Assim, as Escolas do Vale do Âncora e de Caminha, em parceria com Amnistia Internacional e a Câmara Municipal de Caminha, definiram o seguinte programa:

dias 26, 27 e 28 de novembro: sessões de sensibilização dirigidas aos alunos do 2.º ciclo da Escola Básica do Vale do Âncora e da Escola C+S de Caminha, dinamizadas por Amnistia Internacional.

-dia 29 de novembro: às 12.15h, os alunos e docentes do 2.º ciclo da Escola Básica do Vale do Âncora reúnem-se na Praça da República de Vila Praia de Âncora na presença do Presidente da Câmara de Caminha, dos presidentes das juntas de freguesia de VPÂ, Âncora e Riba de Âncora, do Representante de Amnistia Internacional, da Responsável da BM de Caminha/VPÂ, Bombeiros Voluntários e da direção do Agrupamento.  Intervenções do Presidente da Câmara de Caminha e do representante de Amnistia Internacional.  Iluminação da Praça da República com 3 tochas simbólicas. Cobertura da imprensa local.

-dia 29 de novembro: às 15h, os alunos e docentes do 2.º ciclo da Escola C+S de Caminha reúnem-se junto à Torre do Relógio em Caminha na presença do Presidente da Câmara de Caminha, do Representante de Amnistia Internacional, da Responsável da BM de Caminha/VPÂ, Bombeiros Voluntários e da direção do Agrupamento.  Intervenções do Presidente da Câmara de Caminha e do representante de Amnistia Internacional.  Iluminação da Torre do Relógio com 3 tochas simbólicas. Cobertura da imprensa local.

dia 30 de novembro: na Praça da República de VPÂ, por volta das 17.30h/18h, os alunos, Enc. de Ed., Juntas de freguesia, Bombeiros Voluntários e membros da Comunidade iluminam a Praça da República com velas. Cobertura da imprensa.

A coordenadora das Bibliotecas Escolares

Prof.ª Natividade Riba

 

 

toma-se.

 

 

 

Dívida de 17 milhões de Vieira ao BPN assumida pelo Estado

A empresa do presidente do Benfica, Luís Vieira, e do seu sócio, Almerindo Sousa Duarte, poderá estar envolvida num esquema de burla que, revela a edição desta quinta-feira do Diário de Notícias, terá prejudicado o BPN em cerca de 17 milhões de euros. Ora, a o Estado, na figura da Parvalorem, herdou esse crédito, classificado como incobrável.

e crato sente-se ameaçado

No Grupo 530 apenas são “específicas” as Artes Visuais ( 1 e 2 ), Electrotecnia e Informática. Decerto as restantes especificidades já estarão cratadas grelhadas até ao esturro.

Haverá uma lista maior de incompetências; este poste é para alçar a perna nisso.

Ensino público. Autonomia das escolas acaba onde começam as regras de Crato

Caros/Caras colegas | Amigos e amigas,
.
Como sabem dia 18 de dezembro será o dia da prova de avaliação de conhecimentos e capacidades dos colegas contratados. Comenta-se que serão colegas do quadro a vigiar a prova de avaliação dos contratados. A ser verdade esta informação (desejo que não!), espero que esses mesmos colegas se neguem a fazê-lo, que não pactuem com esta vergonha… Que sejam solidários com os  colegas contratados, que são professores que apenas não entraram nos quadros (alguns dos contratados têm mais tempo de serviço que alguns colegas do quadro – como todos sabemos, depende do grupo; outros não terão, mas o que verdadeiramente interessa é que TODOS têm a profissionalização).Não esquecer que os professores contratados são avaliados anualmente e de acordo com o regulamentado pelo ME – afinal esta avaliação não serve???Tantos de nós com quase (ou mais) de duas décadas de ensino, com um investimento constante na sua formação pessoal e profissional – perguntamos: “Isto não tem valor?”

Precisamos de fazer um exame, que em nada vai demonstrar a nossa competência ou capacidade pedagógica, apenas porque o Sr Ministro da Educação assim o decidiu. Esse mesmo senhor, que não conhece a realidade das nossas escolas, e que todos sabem que tudo está a fazer tudo para acabar com a Escola Pública. E não é com uma escola pública qualquer, é com uma escola pública de qualidade.

Tenham coragem, senhores que governam… tenham coragem e fechem os cursos sem qualidade, façam uma avaliação séria às universidades e à qualidade dos cursos/formação que oferecem…

Se pensarmos, analisarmos seriamente este assunto, esta prova é um atestado de humilhação a todos os professores contratados e um atestado de incompetência às universidades que têm os cursos via ensino. De nada serve o certificado que as Universidades nos passam? De nada serve a formação e qualificação PROFISSIONAL dada pelas universidades?

Deixem-nos ensinar. 

Deixem-nos ter paz para fazermos o que sabemos fazer – dar aulas, estar com os nossos alunos, investirmos nas nossas próprias opções de formação para melhorarmos a nossa qualidade de ensino! 

Deixem-nos em paz, para que possamos tranquilamente refletir sobre o que de facto importa:

 – as nossas práticas; 

– os conteúdos a lecionar e como lecioná-los de forma a chegar a todos os alunos; 

– as nossas interações com as escolas e com os alunos;

–  os nossos projectos escola-comunidade… 

sim, paz para pensarmos no que é importante!!

Sinto-me indignada e farta do constante ataque aos professores por parte do governo e perplexa com tamanha passividade da nossa parte – vamos ficar quietos a ver a nossa vida a ser roubada?

Chamo-me Tânia Sardinha Vieira e sou professora contratada há dezasseis anos.

Sou professora de Artes Visuais (3ºCEB e SEC), especializada em Educação Especial (EE) – profissionalizada! 

Por todas as escolas por onde passei, vesti a camisola… sempre!

Implementei projetos e colaborei em tantos outros. 

Levei as escolas à comunidade. Trouxe a comunidade tantas vezes às Escolas.

Sim.. tudo o que faço (e continuarei a fazer, se me deixarem!), é porque ADORO SER PROFESSORA! 

Porque uma sala de aula é para mim um palco vivo de interações, de partilha de saberes e um espaço sério, muito sério… que tem de ser olhado e tratado com muito RESPEITO, pois é um palco onde se cresce em tempo real, onde se aprendem valores e princípios (tantos deles implícitos nas nossas práticas como docentes). Um palco vivo onde o outro é um SER QUE MERECE TODA A NOSSA ATENÇÃO, o nosso olhar atento aos seus feedbacks, às suas aprendizagens, às suas alegrias e às suas tristezas. 

Tantos silêncios que gritam dentro das nossas salas, das nossas escolas. 

Tanta esperança que cresce à nossa frente… tanta voz que se faz na nossa presença… e precisamos de paz para podermos escutar tudo isto!

Precisamos de tranquilidade na carreira, precisamos de não perder tempo com coisas que não são importantes.

Nunca parei de investir em mim (como tantos outros colegas que conheço – contratados ou não!). Fiz a profissionalização em serviço (terminei com 19 valores), fiz o mestrado já há alguns anos e presentemente encontro-me a fazer o doutoramento. Nada disto serve, senhor Ministro da Educação?? 

Neste 16 anos de ensino fui sempre avaliada (com classificações de Excelente e MB)… avaliada segundo as regras criadas pelo ME e agora este percurso de nada vale??

Como eu, há muitíssimos professores (meus colegas) com percursos análogos. Temos uma escola cheia de excelentes professores (independentemente da sua categoria ou grupo). 

Professores que tantas vezes não têm condições, nem os recursos necessários e mesmo assim FAZEM. 

Professores que ainda acreditam que vale a pena investir, porque é pela educação que um país marca a diferença

Professores que sabem que a EDUCAÇÃO é muito mais que o português e a matemática… muito mais! [E com isto não pretendo diminuir a importância destas disciplinas, mas são mais duas de um currículo diverso – não são as únicas]

Professores que sabem que só se pode crescer de forma plena quem desenvolve outras competências, tais como: as competências emocionais, as sociais e as relacionais (entre tantas outras). 

Professores que sabem e que acreditam que os alunos que desenvolverem a capacidade de ver o mundo, com o olhos de quem sente e conhece as estrelas, que desenvolverem a qualidade de serem solidários serão homens e mulheres diferentes, mais capazes, mais interventivos, mais conscientes e críticos. 

 

Esta é a escola que eu defendo. A escola onde cada criança e jovem pode aprender a SER um cidadão com sentido crítico, livre, solidário e sensível ao outro. Esta é a escola à qual pertenço e pela qual irei sempre lutar.

Uma escola “de”, “com” e “para” todos, onde a palavra diferença é substituída pela palavra diversidade… onde há espaço para todos!

Juntos podemos fazer a diferença… acredito nisto!

 

Tânia Sardinha | 21 DE NOVEMBRO DE 2013

(professora contratada do Agr. de Escolas de Albergaria-a-Velha 2013/2014)

Ao que parece, se destruirmos por completo uma cidade, um país, uma sociedade, o que vem a seguir é melhor. Como argumento ou demonstração, não é uma inanidade. é apenas ridículo. Porque nunca se disse que a liberdade de escolha é completamente má e não funciona em nenhum lado. Encontrar um exemplo e erguê-lo como norma é que é uma falácia.

Em especial quando não se citam partes como esta, exactamente a seguir ao excerto usado:

The enrollment system is complicated. There are far fewer available seats at good schools than at poor ones, leaving many families to choose between bad and worse. And few students can get into top-rated schools because of limited seats and strict admissions policies.

Parece que o que interessa é a quantidade (há mais gente certificada como com as NO), não interessa se lhes é permitida a escolha entre o mau e o péssimo.

É mais fácil encontrar uma agulha num palheiro do que um professor da escola pública que não seja de esquerda. É por essa razão que será muito difícil evitar que o nosso país venha a afundar-se num tipo de socialismo miserabilista semelhante ao chavismo e ao castrismo. A escola pública tem um poder imenso no processo de formação de consciências favoráveis ao socialismo. E os professores das escolas públicas são poderosos agentes ao serviço desse propósito. A melhor forma de evitar a caminhada para o socialismo é a privatização das escolas públicas.

Pub21Nov13

Público, 21 de Novembro de 2013

… para ganhar espírito combativo e esquecer tanta coisas a uni-los, como o horror À autonomia e espírito crítico dos zecos.

Maria de Lurdes Rodrigues diz que Nuno Crato está isolado

Como sabemos, em devido tempo, MLR estava rodeada de numerosos notáveis de todas as cores que lhe deram todo o apoio e agora aparecem a criticar a aplicação das medidas que ela legislou.

Aguardo, com curiosidade, o testemunho da própria sobre a prova de ingresso para os docentes… se calhar foi só mais um decreto ou portaria para chatear e não era para levar a sério…

Líder da UGT apela a um “sobressalto cívico” contra o “medo”

… convém esclarecer que a verdade técnica do ministro Nuno Crato acerca da redução dos apoios às escolas privadas com aquele tipo de contrato se baseia na ocultação de isso resultar de um corte feito durante o ministério de Isabel Alçada, que passou o apoio de 114.000 euros para 90.000 no fim de 2010-11 e para 80.000 em 2011-12.

Nuno Crato, ao chegar ao ministério, fez o inverso… aumentar os valores que estavam estabelecidos anteriormente para 2011-12 para 85.000 euros.

A amnésia selectiva ao serviço do truque político está no auge no MEC.

Já a aversão às políticas dos anteriores governos não nos deve fazer aceitar atropelos evidentes a uma completa verdade.

Já viram a tragédia se eles não soubessem o que andam a fazer?

Meio milhão de crianças perdem abono de família em três anos

Portugal está abaixo da média europeia em despesas do Estado para apoio económico às famílias.

Programas e Metas Curriculares

 Metas Curriculares do Ensino Básico em discussão pública
Programas e Metas Curriculares do Ensino Secundário em discussão pública

Encontram-se em consulta pública, até 2 de dezembro de 2013, as propostas de novos Programas das disciplinas de Português, Matemática A e Física e Química A (10.º e 11.º anos) do Ensino Secundário e de Metas Curriculares destas e das disciplinas de Física e de Química do 12.º ano e de História, Geografia e Ciências Naturais do 9.º ano do Ensino Básico.
Os contributos deverão ser enviados para o endereço de e-mail metas.curriculares@mec.go

Página seguinte »