Sexta-feira, 1 de Novembro, 2013


Beautiful South, Perfect 10

Serviços mínimos para os exames nacionais, FENPROF, FNE e CONFAP respondem.

Directores, associações de pais e sindicatos sobre as propostas para a educação do guião da reforma dos estado.

Professores despedidos por causa do Facebook recebem Indemnização, colégio Casa-mãe, Baltar

“verdade inconveniente” grande reportagem na tvi – dia 4 de Novembro às 20h00

… a avaliação dos seus efeitos a médio prazo.

Swedish free school system ‘needs tweaking’

Twenty years after Sweden’s school system opened the door for independent profit-making schools and expanded parents’ choice, sliding results have the left-leaning opposition saying the system is a textbook example of privatization gone wrong.

Os links nesta notícia são muito interessantes, nomeadamente este:

Bankruptcy hits major Swedish free school firm

Por cá seria impossível, pois este tipo de empresas em Portugal tem sempre as conexões certas e benção da obra certa. Seja de Deus ou dos homens.

Entretanto, e porque eu não ando a anunciar calamidades sem fundamento:

Sweden’s free schools prompt segregation fears

Swedish education level slips in global ranking

Swedish 10-year-olds’ literacy slips again

E a surpresa das surpresas!!!

Half of principals back re-nationalizing schools

Claro que por cá isto não é transmitido assim, pois não dá jeito confessar o falhanço dos “projectos” que querem implementar por cá, pois o maior interesse não está no desempenho dos alunos, mas no negócio.

Por lá existe a capacidade de admitir que:

Swedish parties agree to major free school reform

(…)

Among other things, the new accord gives authorities the right to force under-performing free schools to hire more teachers.

The four parties that make up the governing centre-right Alliance coalition have been in long and intensive talks about the reforms with the Social Democrats and the Green Party.

“We have solved most of it, but each party has a few questions left they want answered,” the Greens’ Mats Pertoft told the TT news agency.

The education minister, meanwhile, welcomed the negotiated deal.

“This is the domestic policy area where the hardest battles have been fought in the past 25 years,” Jan Björklund of the Liberal Party (Folkpartiet) told reporters.

“It’s a very positive step that we have such a broad agreement.”

Björklund said he believed that most graduates of free schools in Sweden were probably happy with their choice of education, but said there had been cases of poor management. Last year, a licence to run a free school went up for sale on the buy-sell site Blocket, causing a minor education scandal in Sweden.

… como pode ser muito prejudicial a lógica do custo mínimo…

What’s Wrong With Low-Cost Private Schools for the Poor?

… outrora feriado, nos tempos coevos da crise económica, despesismo e ineficiência.

Há demasiada gente a precisar de aprender a ler e a entender o que está escrito em frases manhosas. O que vem no guião do Portas é:

GuiaoEdu7

A ver se nos entendemos: o que é da propriedade e gestão dos professores é o “projecto”. Depois contratualizam o serviço e o uso das instalações…

No que difere isto de um contrato de autonomia? Na prática em muito pouco para os professores. Isto é o que já fazem quando uma escola tem um projecto educativo feito como deve ser, em diálogo interno.

Mas pode significar muito para outros que usem grupos de professores para entrar na exploração dos equipamentos da rede escolar pública!

E reparem no uso do convidar para o procedimento concursal…

Página seguinte »